Amazonas Cultura

Exposição ´Os Adeuses´ retrata emigração espanhola para as Américas

Fotos fotos como esta, na exposição/Foto: Divulgação
Fotos fotos como esta, na exposição/Foto: Divulgação
Redação
Escrito por Redação

Idas, vindas, partidas, chegadas e saudades são a temática principal da exposição “Os Adeuses”, com fotografias do espanhol Alberto Martí, que chega a Manaus no próximo dia 7 de abril, na Galeria do Largo, numa parceria entre o Conselho da Cultura Galega, a Embaixada da Espanha e a Secretaria de Estado de Cultura.
Com três áreas principais (A Ida, A Volta, e O Buque Santa María), a exposição mostra os momentos da partida de centenas de imigrantes galegos dos portos de Vigo, La Coruña e Galiza, na Espanha. A exposição também mostra o drama da emigração galego-espanhola para os países latino-americanos durante a primeira metade do século XX.

Na visão do Secretário de Estado de Cultura, Robério Braga, o Amazonas ganha muito com a apresentação da exposição, uma vez que a cultura espanhola tem muita conexão com a América, e principalmente, com a história do estado. “Foram os espanhóis que pela primeira vez pisaram no Amazonas, ainda no século XVI. Essa sede por sair da sua terra, essa constante emigração para outros lugares e a integração da sua cultura com as de outros povos é, sem dúvida, um valor formador da identidade de um povo”, afirma.

Para o governador do Amazonas, José Melo, mais do que o intercâmbio cultural, a cooperação entre o Governo e a Embaixada da Espanha mostra uma parceria de sucesso. “Todo o trabalho que nós desenvolvemos com diversas instituições é unicamente para beneficiar quem vive no nosso estado, em qualquer vertente que seja, principalmente na área cultural. Temos absoluta certeza de que será um ganho para o nosso povo”, declara.

Na exposição, o que se mostra, graças a Martí, é uma etapa bem concreta da emigração Espanha-América, que na década de 1950 já dava os seus últimos fôlegos. O período é considerado especialmente interessante, uma vez que a política migratória espanhola, através de organismos oficiais ou privados, tentava subsidiar ou “assistir” as saídas e as chegadas dos emigrantes.

Outro ponto especial da exposição é a área O Buque Santa María. Nessa área, é apresentada uma reportagem rica em detalhes sobre a peripécia do buque Santa María, que cobria a rota Caracas (Venezuela) – Lisboa (Portugal) – Vigo (Espanha). A embarcação fora sequestrada pelo Diretório Ibérico de Libertação (DRIL) no mês de janeiro de 1961 e regressou ao porto de Vigo só em fevereiro, do mesmo ano.

A exposição começa no dia 07 de abril e vai até o dia 29 de maio de 2016. No dia 07, a abertura acontece ás 19h00, e até 29 de maio, a exposição fica aberta para visitação de terça-feira a domingo, de 17h00 a 21h00, com  entrada é gratuita.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.