Amazonas Política

Extrativistas embarcam hoje (25) rumo ao III Chamado da Floresta

Extravistas reivindicam melhorias para a categoria/Foto: Divulgação
Extravistas reivindicam melhorias para a categoria/Foto: Divulgação
Redação
Escrito por Redação

Às 18 horas de hoje, domingo (25), lideranças extrativistas do Amazonas embarcam no navio Amazônia de Deus, no Porto da Manaus Moderna, Balsa Verde, em Manaus, com destino à Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns, em Santarém, no Pará, onde acontecerá o III Chamado da Floresta, entre os dias 28 e 29/10.
O evento vai reunir 3 mil lideranças extrativistas de todos os estados da Região Amazônica com o objetivo de apresentar ao governo federal as reivindicações do segmento voltadas à melhoria das condições do trabalho e à conservação da natureza. Neste domingo, as delegações partem em navios também de Belém, no Pará, e de Macapá, no Amapá, rumo a Santarém.

O III Chamado é promovido pelo Conselho Nacional das Populações Extrativistas (CNS) – antigo Conselho Nacional dos Seringueiros. Estão sendo esperados no evento, a presidenta da República, Dilma Rousseff, e ministros de várias pastas.

O navio tem previsão de chegada na tarde da terça-feira, 27/10, no Porto de Santarém, de onde seguirá para a Comunidade São Pedro, onde fica a Resex Tapajós-Arapiuns, distante oito horas de navio da sede do município.

Em Belém, o embarque das delegações de extrativistas aconteceu ontem (24), no navio Catamarã Rondônia, no Terminal de Passageiros Luiz Rebelo. Já em Macapá, o embarque, foi às 10 horas de hoje, no navio Rei Benedito, no Porto do Canal Jandiá.

Extrativistas – Cerca de 2 milhões de pessoas sobrevivem das atividades extrativistas na Amazônia, segundo estimativa da CNS. Elas atuam na coleta de açaí, castanhas e outros frutos; de óleos, como copaíba, andiroba e murumuru; de látex; de raízes; ervas; sementes; madeira; pesca; e no manejo da fauna silvestre, como catitu,capivara, jacaré e tartaruga; entre outras, representando uma importante atividade econômica em muitos municípios da região, bem como um trabalho essencial à defesa e conservação dos recursos naturais.

O Chamado da Floresta é realizado a cada dois anos. O tema deste ano é “Floresta conservada é vida continuada”. A intenção é dar visibilidade à importância das frentes de trabalho extrativistas para a conservação do meio ambiente, desde à época de Chico Mendes. Durante o evento, os grupos de trabalho vão aprofundar as discussões sobre os temas afeitos às atividades das populações extrativistas: reforma agrária; produção e geração de renda; infraestrutura básica; saúde, especialmente a preventiva; e organização e gestão, incluindo os serviços ambientais.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.