Amazonas Formal & Informal

Faixa Azul: aumenta o consumo de tinta na prefeitura do tucano Arthur Neto

Pintura da faixa azul da Av. Torquato Tapajós, Manaus.
Redação
Escrito por Redação

O prefeito Arthur Neto (PSDB) resolve gastar “mais tinta no asfalto” do tumultuado trânsito de Manaus. Depois da Avenida Constantino Nery, Recife, Paraíba e Max Teixeira, agora chegou a vez da Avenida Torquato Tapajós ganhar umas pinceladas de tinta branca e azul (faixa azul), que o prefeito Arthur Neto (PSDB) insiste em chamar de BRT (Bus Rapid Transit), um sistema rápido, que daria solução ao congestionado e deficitário sistema de transporte urbano, em Manaus.

Ocorre que esse sistema, construído com asfalto e cimento, bem planejado, vias exclusivas e independentes, com alargamento de pistas feitos em outras grandes cidades do mundo, em Manaus foi executado unicamente “com baldes de tinta”, caneta e bloco de multas para os condutores, que não tem escapatória, a não ser passar por cima do absurdo, que virou essas faixas azuis na cidade.

Pior, dos mais de 1.500 ônibus em circulação, nem 07% transitam por todas as faixas azuis pintadas pelo prefeito. Os seja, mais de 90% da frota, divide o que sobrou das pistas laterais, dessas avenidas, com veículos de passeio (particulares), caminhões, carretas, micro-ônibus, transportes especial, taxis, moto-táxis e, pedestres, que tem de dividir as pistas estreitas com os carros, porque a cidade também não tem calçadas.

No quesito transportes de passageiros, o tucano Arthur Neto (PSDB), não tem conseguido nem negociar o valor da tarifa. Ele está em constante conflito com os empresários do setor, a justiça, os sindicalistas e com a população, que sofre por causa das suas indecisões. Por conta das bravatas do prefeito tucano, nos dois últimos anos, a qualidade do serviço de transportes de passageiros piorou muito. Tanto, que é comum ver ônibus em pane mecânica por toda a cidade, todos os dias.

Trânsito na Av. Mário Ipiranga (Recife), em horários normal..

Cena comum no trânsito da Av. Mário Ipiranga (Recife), em horários normal.. nenhum ônibus na faixa.

A promessa de campanha, nas eleições de 2012, era a de que o prefeito tucano iria construir um sistema de transporte rápido, eficaz, para facilitar e dar mais fluidez ao transporte de massa em Manaus. Falou isso aos “quatro-ventos”. Jurou que essa era a sua principal meta. Hoje, o tempo de espera nas paradas “descobertas”, é de no mínimo 01 hora, cravada.

Reeleição?

Passados três anos e meio e, próximo de mais uma campanha eleitoral, quando Arthur Neto (PSDB) pretende se reeleger, só foi feito pinturas de asfalto (faixa azul), com estreitamento das principais artérias de escoamento do trânsito de Manaus. Resultado: tumulto generalizado no trânsito, que além disso, tem que conviver com a “buraqueira” que se instalou de vez em todas as pistas, em todos os bairros da cidade.

Na opinião geral dos condutores de veículos, a utilidade dessas faixas, não justificam os prejuízos com o trânsito, sempre congestionados, com as faixas azuis desocupadas por falta de ônibus ou, sendo usadas unicamente por motoristas de taxis.

O que é o BRT?

O conceito de BRT (Bus Rapid Transit), é constituído de elementos fundamentais com foco na operação planejada, infraestrutura adequada, tecnologia, gestão eficaz e qualidade de serviço ao passageiro.

Esses sistemas são essencialmente determinados por: corredores exclusivos e priorização dos ônibus, estações com pré-pagamento e embarque em nível, ônibus de alta capacidade e tecnologia embarcada, sistemas de trafego inteligente – ITS, integração dos modais de transporte e reorganização das linhas existentes.

A implementação de um sistema BRT requer muito planejamento devido aos diversos componentes que influenciam o processo, tais como o layout das estações de embarque, configuração dos veículos, interface do ônibus com o sistema, serviços de informação aos passageiros e marketing, entre outros.

Ou seja, é exatamente tudo que não existe no sistema criado e desenvolvido pelo prefeito tucano, em Manaus.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

1 comentário

  • Não precisa comentar muita coisa, a matéria fala tudo. Se TODOS os ônibus trafegassem na via exclusiva talvez isso melhorasse um pouco, mas via só atende a taxistas e 07% dos ônibus. O que é pior! Ainda faz com aqueles que precisam dos ônibus que não vão pela faixa azul – digasse de passagem a maioria – fique ainda mais tempo em ônibus lotados. Um caso!

error: Ops! não foi dessa vez.