Amazonas Formal & Informal Política

Arthur suspende Faixa Azul e prova que medida eleitoreira foi tiro no pé

Arthur suspende faixa azul/Foto: Divulgação
Redação
Escrito por Redação
Arthur suspende faixa azul/Foto: Divulgação

Arthur suspende faixa azul/Foto: Divulgação

O prefeito Arthur Neto voltou mais uma vez atrás em uma de suas decisões precipitadas e, desta vez, suspendeu a fiscalização da Faixa Azul na Avenida Max Teixeira, na Zona Leste, implantada.
É a segunda vez que o prefeito  volta atrás em medidas que toda a população – menos ele e seu secretário Pedro Carvalho – consideravam eleitoreira e absurda: a primeira tinha sido suspensão do Terminal 2 para funcionar como terminal de integração, no bairro Cachoeirinha,  mas diante das milhares de reclamações de usuários, no mesmo dia, ele, Arthur mandou que o T2 voltasse a funcionar como integração.

Para a população as medidas foram sim eleitoreiras, principalmente da Faixa Azul, que ele, Arthur imaginava que a implantando às vésperas da eleição, o trânsito na Max Teixeira ficaria às mil maravilhas e assim, ele ganharia muitos, mas muito votos.

Mas o tiro saiu literalmente pela culatra: os engarrafamentos foram quilométricos, os transtornos foram maiores ainda. O que se viu foram milhares de motoristas dirigindo críticas e até palavrões ao prefeito de Manaus.

O efeito tomou proporções ainda maiores quando chegou as mídias e redes sociais com muita gente criticando uma medida que consideravam eleitoreiras.

Para piorar a situação até uma tragédia ocorreu na primeira hora da implantação. Um idoso foi atropelado e morto na recém implantada Faixa Azul da Max Teixeira.  Ai as criticas se tornaram maiores ainda com muitas pessoas só não chamando o prefeito de santo.

Para piorar, os moradores do conjunto residencial Ozia Monteiro resolveram  protestar após a morte do idoso e pediram, também, a extinção da Faixa Azul.

A pressão de todos os lados foram tantas que o prefeito não agüentou e nesta segunda-feira decidiu extinguir a tal Faixa Azul na  Max Teixeira.  A População agradece.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.