Acre Amazonas

Famílias de presos caem em golpe de quadrilha e MP faz alerta no Acre

Redação
Escrito por Redação

O Ministério Público do Acre (MP-AC) emitiu uma nota nesta segunda-feira (23) alertando a população sobre um golpe que está sendo aplicado em familiares de presos que irão passar por audiência de custódia na Justiça. Os golpistas, segundo o MP, entram em contato com os parentes por telefone e informam que o suspeito só será solto após o pagamento de uma fiança. Pelo menos seis famílias já teriam sido vítimas do suspeitos.

No golpe, são usados os nomes de promotores de Justiça, juízes, oficiais de Justiça e autoridades da Polícia Civil e Militar para extorquir o dinheiro de familiares de presos.

O coordenador adjunto do Grupo de atuação Especial em Combate ao Crime Organizado (Gaecco), Bernardo Albano, informou que até o momento já foram identificadas seis famílias que teriam sido vítimas dos suspeitos. Ele afirmou ainda que o número de telefone utilizado durante as chamadas é do estado do Ceará.

“Identificamos que as contas são também do Ceará e acreditamos que a quadrilha seja de lá, mas com ramificações aqui no estado”, esclarece o promotor.

O coordenador revelou ainda que os suspeitos exigem que as famílias depositem de R$ 800 a R$ 2,2 mil para que o preso seja solto.

“Dia 13 de maio recebemos as primeiras denúncias sobre os casos. Agora vamos aprofundar as investigações para saber quem são os beneficiários dessas contas, se elas estão envolvidos ou se tratam de laranjas. Achamos importante divulgar esses golpes para evitar que mais pessoas sejam vítimas”, detalha o coordenador.

Segundo o MP, a audiência de custódia é aquela onde o juiz vai decidir se o preso vai responder ao processo em liberdade ou no presídio. Nesta audiência também é decidido se o suspeito deve ou não pagar fiança para responder em liberdade. O promotor esclarece ainda que o Judiciário não faz nenhum tipo de exigência e nem cobrança a famílias.

“Não existe nenhum tipo de exigência prévia [por parte do Judiciário] e muito menos por meio de telefone para depósito de valores ou outras vantagens. Isso não existe.”

O MP alertou que a cobrança de valores como forma de fiança antes da audiência de custódia é crime de estelionato e deve ser informado à polícia.

(Jornal Floripa)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.