Amazonas Destaques Formal & Informal

Fantástico “pisa na bola” e só requenta o caso Mohamed Mustafa

O Fantástico “pisa na bola” e só requenta o caso Mohamed Mustafa
Redação
Escrito por Redação

O Fantástico, programa dominical da Rede Globo desse domingo (09), não foi além do que todos já sabiam, no quadro de uma anunciada reportagem “bombástica” sobre o esquema de desvio de recursos públicos descoberto na “Operação Maus Caminhos”, deflagrada no mês passado pela Polícia Federal (PF), Controladoria Geral da União (CGU) e Receita Federal (RF).

O efeito bomba não passou de um tiro de festim. O único citado, na requentada reportagem, foi o médico e empresário Mohamed Mustafa.

A esperada denúncia de pessoas e personalidades do Estado, ficou na vontade de muita gente que passou o dia divulgando notas nas redes sociais, dizendo que aconteceria um Tsunami nas estruturas do Estado, com a reportagem do Fantástico desse domingo.

O Fantástico “pisa na bola” e só requenta o caso Mohamed Mustafa

O Fantástico “pisa na bola” e só requenta o caso Mohamed Mustafa

Pior para o grupo do prefeito candidato Arthur Neto (PSDB), que estava com o seu comitê de campanha preparado para sair às ruas soltando fogos, uma vez que acreditavam que a reportagem do Fantástico atingiria em cheio o governador José Melo e em consequência, o candidato Marcelo Ramos, que não é apoiado por ele, mas que Arthur tenta colar a imagem dos dois, ao caso da saúde.

Mais uma vez, “a Globo pisa na bola”. Não conseguiu atingir o Estado, mas um empresário mal caráter, que surrupiava recursos da saúde para empresas de sua propriedade.

Ficou feio para um conhecido político eleito aqui no Estado, que insiste em promover reportagens desse nível, que só contribui para denegrir a imagem do Amazonas, no restante do País.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

1 comentário

  • Blog tendencioso: quem “pisou na bola foi o governo do estado, e o “pior” ficou para a população que mais precisa de um atendimento médico, e sofre com um serviço precário no setor de saúde pública. Vamos ter bom senso e parar de fazer campanha para este ou aquele candidato e tratar com seriedade assuntos de desvio de dinheiro público.

error: Ops! não foi dessa vez.