Amazonas Formal & Informal

Fantástico vai a Coari para saber: ´cadê o dinheiro que tava aqui?´

Repórter Maurício Ferraz, nas ruas de Coari/Foto: Reprodução
Redação
Escrito por Redação

Maurício Ferraz, repórter “invisível” do Fantástico, não consegue passar incógnito pelas ruas de Coari. A vontade da população em responder a pergunta “cadê o dinheiro que tava aqui?” é tão grande, que desde a chegada da equipe de reportagem ao município, no domingo, muita gente faz plantão na porta do hotel, no centro da cidade, com denúncias sobre salários atrasados, falta de merenda escolar, ruas esburacadas e inúmeros problemas que o município está submetido.
Talvez, dessa vez a grande imprensa tome conhecimento e passe a reportar a verdade, que acontece naquele município, com inúmeras denúncias já tendo sido feitas e protocolizadas em órgãos de fiscalização e controle externo, como Tribunal de Contas do Estado (TCE), Tribunal de Contas da União (TCU), Polícia Federal (PF), Ministérios Públicos Estadual (MPE) e Federal (MPF), Controladoria Geral da União (CGU), Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM) e Delegacia da Receita Federal no Amazonas (DRF).

Desde que assumiu a Prefeitura de Coari, em abril/2015, Raimundo Magalhães, o “Ray Cabeleira”, tem sido alvo de denúncias por desvio de recursos públicos, com Coari atravessando um verdadeiro caos em todos os sentidos. Servidores públicos estão com salários atrasados há quatro meses, mesma dificuldade enfrentada pelos locatários de imóveis e comerciantes que fornecem produtos e serviços ao governo municipal.

Na semana passada, a empresa que alugava veículos para a prefeitura, retirou de circulação toda a frota e colocou à venda. Até as ambulâncias que prestavam serviço ao setor de Emergência foram recolhidas. Um pedido de abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) está na Câmara de Vereadores por conta da denúncia de formação de cartel de empresas nas licitações operadas pela PMC.

O parlamento municipal negou, no início de maio, um pedido de intervenção no município, embora o TCE já tenha formalizado processo a partir de denúncia feita pelo advogado Fernando Almeida, que apontou diversos crimes cometidos pela administração municipal nas contas referentes ao exercício de 2015. “O dinheiro público saiu para pagar uma empresa e foi parar em outra”,  destaca trecho da denúncia.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

1 comentário

  • gracas adeus que a emprensa voltou a coari pra ver o sofrimento do povo uma cidade ao abandono esta um caos povo sofrendo muitos passando necessidade uma cidade tao rica meu deus quando isso vai para

error: Ops! não foi dessa vez.