Amazonas Destaques Saúde

FCecon anuncia novo método preventivo para o câncer de cólon uterino, no AM

Abertura da campanha Outubro Rosa, na FCecon/Foto: Vitor Souza
Redação
Escrito por Redação

A Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), vai adotar a Citologia em Meio Líquido, uma forma mais eficiente que o exame preventivo normal para detectar o câncer de cólon de útero, de acordo com anúncio feito pelo diretor-presidente da Instituição, cirurgião Marco Antônio Ricci, durante o lançamento da campanha Outubro Rosa, no fim da tarde de ontem, sexta-feira (30), na sede da fundação, quando, também, foi anunciada a descentralização do atendimento ambulatorial e preventivo do câncer de mama, hoje restrito à fundação, para unidades da rede básica de saúde.
De acordo com Ricci, a Fcecon, está adquirindo, por meio de parceria com o Fundo de Promoção Social (FPS), do Governo do Amazonas, três mil kits para a realização da Citologia em Meio Líquido, um método mais eficiente de se fazer exame preventivo contra o câncer de cólon uterino, hoje amplamente utilizado na rede privada no País. “A FCecon será um dos pioneiros na rede pública a utilizar esse método que, comparado ao preventivo normal, é muito mais eficiente permitindo maior precisão na análise da alteração celular”, explicou o diretor. Segundo ele, os kits são para o projeto piloto que está sendo implantado, em parceria com o laboratório São Sebastião, da Prefeitura de Manaus.

Ainda em parceria com o FPS, a FCecon está reformulando o protocolo de atendimento ao câncer de mama, o que vai permitir que unidades da rede básica de saúde possam fazer tanto a prevenção, por meio dos exames, quanto o atendimento ambulatorial e a contra-referência de pacientes atendidos pela Fundação. “Hoje, todo o atendimento se concentra na FCecon, o que acaba sobrecarregando. Estamos fazendo a capacitação profissional para realização da biópsia nas unidades e novos equipamentos, como pistolas de biópsia para mama, foram adquiridos” disse Marco Ricci, que agradeceu o apoio recebido da presidente do FPS, a primeira-dama do Estado, Edilene Gomes de Oliveira.

A secretária executiva do FPS, Vania Cyrino, também ressaltou o apoio que a instituição vem dando à atenção oncológica no Estado, não apenas à campanha, como também ao tratamento oncológico como um todo. “Neste ano, a participação do FPS tem um diferencial na luta contra o câncer, que é um investimento de R$ 2,3 milhões em equipamentos que vão mudar a questão do diagnóstico e a prevenção do câncer de mama e de outros cânceres”.

Iluminação rosa – O movimento de prevenção aos cânceres de mama e colo uterino, Outubro Rosa marcou o início da campanha no Estado com um evento na FCecon, que culminou com o tradicional acendimento de luzes na cor rosa na fachada da unidade. O rosa simboliza, em nível mundial, a luta contra o câncer de mama, neoplasia maligna mais incidente entre as mulheres.

Abertura da campanha Outubro Rosa, na FCecon/Foto: Vitor Souza

Abertura da campanha Outubro Rosa, na FCecon/Foto: Vitor Souza

No Amazonas, a campanha também chama a atenção para a importância da prevenção ao câncer de colo uterino, o que mais acomete a população feminina no Estado, como explicou o Marco Antônio Ricci. Ele lembra que, no âmbito local, o movimento inclui a participação de ONGs de apoio à luta contra o câncer, a exemplo da Liga Amazonense Contra o Câncer (Lacc), Rede Feminina de Combate ao Câncer, Centro de Integração Amigas da Mama (Ciam), Lar das Marias, Grupo de Apoio às Mulheres Mastectomizadas da Amazônia (Gamma), além da Sociedade Brasileira de Mastologia secção Amazonas, tidos presentes no evento desta sexta_feira. Em nível nacional, a coordenação do movimento fica a cargo da Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama).

O evento de abertura foi marcado por depoimento de representantes de instituições que lutam contra o  câncer e de mulheres que venceram a doença, embalado pelo coral da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) e a banda da Marinha do Brasil. A empresa Eucatur Transporte Rodoviário, parceira do movimento nos últimos anos, que desenvolve um fundamental trabalho de conscientização, levou para a frente da FCecon o ônibus rosa, já conhecido por circular pelas ruas da capital no período.

Adesão – Instituições públicas e privadas também aderem anualmente à campanha Outubro Rosa, integrando uma vasta programação voltada à prevenção. Neste ano, os municípios de Iranduba, Tabatinga e Manacapuru, confirmaram a iluminação de prédios públicos nas localidades em apoio ao movimento, explicou a coordenadora estadual da Atenção Oncológica, enfermeira Marília Muniz.

Na capital, segundo Muniz, já manifestaram apoio as Secretarias de Estado de Educação e de Assistência Social (Seduc e Seas, respectivamente), o Instituto da Mulher Dona Lindu – vinculado à Secretaria de Estado da Saúde (Susam) -, Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), 7º Comando Aéreo Regional (Comar), Ambev e Marinha do Brasil. Todos seguirão o exemplo da FCecon e iluminarão suas instalações de rosa, à exceção da Marinha, que iluminará o navio de assistência hospitalar Dr. Montenegro.

“A Marinha elaborou uma programação, que vai do dia 5 ao dia 24, para a realização gratuita de mamografias e exames preventivos Papanicolau em mulheres ribeirinhas da região do Purus. Nos dias 10 e 11, as mulheres de Beruri também serão beneficiadas com a oferta de mamografias. É uma importante parceria, que leva prevenção e assistência a áreas de difícil acesso no Estado”, explicou Muniz.

Exposição – Na Seduc, que promove a abertura da campanha internamente dia 3 de outubro, a Rede Feminina de Combate ao Câncer, uma das ONGs idealizadoras do movimento no Amazonas, fará uma exposição de produtos produzidos por voluntárias, cujo valor será revertido ao auxílio de pacientes oncológicos de baixa renda no Estado. Entre os dias 1 e 15, a entidade montará um stande no Manauara Shopping, com a mesma finalidade.

Estatísticas – A projeção mais recente lançada pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca), vinculado ao Ministério da Saúde, aponta que os cânceres de mama e colo uterino, juntos, devem acometer 1.120 mulheres no Amazonas, em 2016, o equivalente a 40,43% do total de neoplasias estimadas para o período no sexo feminino.

Os dados apontam que, na comparação com os números nacionais, o Amazonas supera a média brasileira para casos de câncer de colo uterino e fica abaixo no que diz respeito às neoplasias de mama. Na taxa bruta de incidência, estão previstos para o Estado 37 casos de câncer de colo uterino para cada 100 mil mulheres, 18 diagnósticos a mais do que a média nacional. No sentido inverso, as neoplasias de mama estimadas para a mesma proporção é de 24,25 casos, 31 a menos que a projeção nacional, o que segundo o diretor-presidente da FCecon ainda assim representa um cenário desfavorável.

“Quando falamos de taxa bruta de incidência, os números ainda assustam, por isso a importância de chamarmos a atenção para esse problema, informando às mulheres que elas devem fazer a mamografia a partir da idade indicada, o autoexame das mamas para detectar eventualmente alterações que possam ser investigadas para levar ao diagnóstico precoce e, principalmente, a realização do exame preventivo Papanicolau anualmente, a partir do início da vida sexual. Ele auxilia na detecção de lesões precursoras do câncer de colo uterino, mais facilmente tratáveis”, destacou Marco Antônio Ricci.

A mamografia é indicada a mulheres com idade entre 50 e 69 anos. Mulheres com histórico de câncer de mama na família devem iniciar a rotina anual de exames 10 anos antes da idade em que a neoplasia foi diagnosticada no familiar.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.