Entretenimento

Fernando Rocha, do ‘Bem Estar’, teve casa invadida por quatis

Fernando-Rocha
Redação
Escrito por Redação

Fernando Rocha abriu o “Bem Estar” desta segunda-feira (25) contando um fato curioso ocorrido em sua casa no feriado prolongado. O apresentador já atacado por um papagaio no matinal da TV Globo foi vítima de quatis. “Como foi o feriado? O meu foi muito bom, teve muito sol. Quero contar para vocês uma coisa rápida que me aconteceu no sábado. A gente saiu daqui (São Paulo) na sexta e fui para Ibiúna (no mesmo estado)”, iniciou o jornalista.

“Amanheceu aquele sábado de sol, eu respirei fundo e falei: ‘Nada me tira a felicidade imensa de um dia de sol perfeito. De um sábado perfeito’. Fui jogar tênis com o meu professor e vejo lá em cima a Júlia, minha mulher, chorando. ‘Machuquei’. Caiu. Cair não é nada demais. Mas aí tudo bem. O pior viria”, continuou Fernando, que chegou a emagrecer quase 20 quilos em desafio do programa de saúde.

“Meu filho Pedro me manda uma mensagem: ‘Pai, vem para cá que a casa foi invadida pelos quatis’. Quati é aquele bichinho meio parecido com um gato, com um rabinho grande que nos desenhos animados sempre representa o bandido. Não é exagero: tinha pelo menos uns cem quatis dentro de casa”, relatou o responsável pela fratura de um dedo de Mariana Ferrão. A apresentadora está de licença-maternidade após dar à luz João, seu segundo filho, por quem se derrete nas redes socais.

E o apresentador do matinal continuou contando a sua experiência com os invasores. “Destruíram tudo! Tudo que tinha dentro de casa: na dispensa, abriram o forno, as duas geladeiras. Avacalharam com tudo. Mas sem brincadeira: nessa hora pensei o que os quatis têm para ensinar para a gente? A gente estava prevendo um sábado de sol e foi um sábado de uma faxina imensa. A gente teve que tirar tudo, ficamos esfregando. Ficamos oito horas fazendo uma faxina em casa”, continuou citando o filho, a mulher e amigos.

“E depois foi feliz porque foi legal, foi unido, foi bacana. Claro que foi desagradável fazer uma faxina quando a gente não está esperando. Mas foi muito feliz encontrar essas pessoas em um momento de adversidade. E eu pude aprender com isso: o que os quatis podem nos ensinar”, finalizou.

(Purepeople)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.