Amazonas Cultura

Festival Brasileiro de Trombonistas é encerrado com espetáculo gratuito no Largo

Orquestra formada por músicos de todo o Brasil/Foto: Vitor Souza
Orquestra formada por músicos de todo o Brasil/Foto: Vitor Souza
Redação
Escrito por Redação
Orquestra formada por músicos de todo o Brasil/Foto: Vitor Souza

                 Orquestra formada por músicos de todo o Brasil/Foto: Vitor Souza

Com uma apresentação a altura do maior símbolo cultural do Estado, o Teatro Amazonas, foi encerrado, na noite da última sexta-feira (23), o 23º Festival Brasileiro de Trombonistas, com a orquestra, formada por músicos de todo o país, fazendo um espetáculo gratuito para o público presente no Largo São Sebastião, no Centro de Manaus.
O evento, assim como toda a programação do festival, teve o apoio da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), anfitriã e coordenadora da atividade, e da Secretaria de Estado de Cultura, que incluiu a atividade no cronograma de comemoração dos 120 anos do Teatro Amazonas.

“Tivemos um festival maravilhoso que além das apresentações para o público, vai deixar um grande legado para nossos profissionais, sejam eles estudantes ou professores. Com certeza tivemos apenas ótimas experiências ao longo desses cinco dias”, disse o coordenador do evento e professor UEA, Fábio Carmo.

Realizado pela primeira vez em Manaus, o Festival Brasileiro de Trombonistas trouxe para a capital 150 dos maiores músicos do país. “A experiência foi ótima, tanto em organização, quanto na receptividade do público. Tudo isso sem falar na qualidade dos músicos amazonenses e na grandiosidade dos palcos em que nos apresentamos”, afirmou o vice-presidente da Associação Brasileira de Trombonistas (ABT), Marcos Flávio.

Para ele, o Teatro Amazonas é o cenário ideal para eventos nacionais e deve receber o festival mais vezes. “É um local realmente diferenciado e que merece receber apenas os melhores espetáculos”, completou.

Público – Quem passava pelo Largo São Sebastião se contagiou com a apresentação. Aos poucos, o público tímido foi se soltando e chegou até a dançar com o repertório. Foi o caso da aposentada Lane Andrade, de 67 anos, que mesmo só de passagem, parou para aproveitar o espetáculo.

“Foi a música que me trouxe. Eu estava atravessando a praça e escutei o som. Acabei parando um pouco e fiquei até o final. Achei tudo muito bonito, ainda mais sendo gratuito para a população”, comentou.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.