Amazonas Saúde

FPS libera recursos para obras da Clínica de Hemodiálise da FHAJ

Fundação Hospital Adriano Jorge, em Manaus/Foto: Divulgação
Redação
Escrito por Redação

O Fundo de Promoção Social (FPS), repassou à Fundação Hospital Adriano Jorge (FHAJ), recursos da ordem de R$ 1,8 milhão, para execução da segunda etapa de estruturação do serviço de Hemodiálise da instituição. Implantado neste ano, o serviço funciona no primeiro andar do hospital e, segundo o secretário estadual de Saúde, Pedro Elias de Souza, os recursos liberados pelo FPS, permitirão realizar as obras de adequação de uma área do antigo Setor de Tisiologia da unidade, que passará a concentrar todo o atendimento dos pacientes renais crônicos, com estrutura de Centro de Hemodiálise.
“Já estamos com tudo pronto para enviar à Comissão Geral de Licitação o processo que permitirá iniciar as obras de adequação. Nosso planejamento prevê que, antes do final do ano, possamos colocar a Clínica de Hemodiálise da FHAJ em funcionamento”, afirmou Pedro Elias. Ele destacou que a capacidade instalada do centro permitirá atender 300 pacientes/mês e será o maior centro de diálise do estado.

O diretor-presidente da FHAJ, Alexandre Bichara, explica que, antes mesmo da entrada em funcionamento do Centro, o serviço de hemodiálise que começou a funcionar no hospital, será ampliado. “Estamos atendendo, atualmente, 64 pacientes/mês. Já estamos organizando a abertura de mais uma enfermaria voltada para o serviço e devemos chegar a 120 pacientes/mês, com essa medida”, frisou o diretor.

A intenção da Susam é preparar o Hospital Adriano Jorge para se tornar a referência da rede pública para o atendimento dos renais crônicos, inclusive credenciando a unidade junto ao Ministério da Saúde para realização de transplantes de rim.

Conveniadas – Além da nova frente de atendimento para os renais crônicos representada pelo serviço que está sendo estruturado na FHAJ, a Susam mantém convênio com o Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV) e, ainda, com clínicas especializadas para oferta de hemodiálise. Atualmente, o quadro de conveniadas é composto por quatro clínicas, que continuam a atender normalmente.

FCecon – No início da semana, o Governo do Estado já havia anunciado a liberação, por meio do Fundo de Promoção Social, de R$ 639,8 mil à Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), também vinculada à Susam, para a revitalização e expansão do Serviço de Endoscopia da instituição, considerada referência no diagnóstico e tratamento do câncer na Amazônia Ocidental. A expectativa é que a medida resulte em um aumento na oferta de exames de pelo menos 30%.

Pedro Elias disse que a medida faz parte da estratégia de ampliação da política oncológica no Amazonas, que inclui a expansão de outros setores da FCecon. Dentre eles, o de Radioterapia, com a inauguração do acelerador linear, prevista para julho deste ano, e do Serviço de Cirurgia Oncológica, com o funcionamento da primeira Sala Inteligente do Norte do País, equipada para a realização de procedimentos minimamente invasivos, e que será inaugurada até dezembro deste ano. Pedro Elias também destaca a aquisição, até o final do ano, de um novo aparelho de ressonância nuclear magnética.

A reestruturação do Serviço de Endoscopia da FCecon impactará positivamente no aumento da oferta de exames, na avaliação do diretor-presidente da instituição, cirurgião oncológico Marco Antônio Ricci. “Hoje, registramos, em média, 150 procedimentos/mês, realizados em pacientes oncológicos e em uma parcela dos que são encaminhados pela rede pública de saúde via Sistema de Regulação (Sisreg). Os novos aparelhos otimizarão o serviço e trarão mais precisão aos diagnósticos, já que são equipamentos de alta tecnologia”, explicou.

Com os recursos liberados pelo Fundo de Promoção Social, são oito equipamentos ao todo que substituirão aparelhos em uso na unidade hospitalar ou que passarão a integrar o Serviço de Endoscopia da unidade, que hoje oferta exames importantes para o diagnóstico e acompanhamento dos mais diferentes tipos de neoplasias malignas. Os exames realizados são: endoscopia do aparelho digestivo, broncoscopia (Pulmão), retossigmoidoscopia (reto e sigmoide), videohisteroscopia (útero), colonoscopia (todo o intestino grosso), entre outros.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.