Amazonas Destaques Política

Fumaça sobre Manaus vem de outros Estados, mostra relatório do Inpe

Gov. José Melo, no lançamento Plano contra dengue, Chinkunguniya e Zica/Foto: Valdo Leão
Gov. José Melo, no lançamento Plano contra dengue, Chinkunguniya e Zica/Foto: Valdo Leão
Redação
Escrito por Redação

Segundo relatório do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), a fumaça que se concentra sobre a Região Metropolitana de Manaus nos últimos dias, é proveniente de queimadas no Estado do Pará e do Maranhão. Relatório apresentados pelo Inpe, com dados de 1º e 2 de dezembro de 2015, que mostram a distribuição de focos de calor na Amazônia Brasileira, revelam a concentração na porção norte do Estado do Maranhão e central do Estado do Pará, fontes de emissão de fumaça na região, que está sendo deslocada pelas correntes de vento de leste nas últimas 24 horas.
O governador José Melo falou sobre o assunto na manhã de hoje, quarta-feira, durante o lançamento do Plano de Intensificação de Combate à Dengue, Chikungunya e Zika vírus, na sede do Governo. Ele disse que, ao perceber que a fumaça havia voltado, pediu explicação à área ambiental que constatou ser a mesma “importada” de outros Estados.

“Como os ventos mudaram de direção nos últimos quatro dias, eles trouxeram essa fumaça para cá. O trabalho que nos estamos fazendo na Região Metropolitana e nos outros municípios deu resultado. O Inpe deu toda a imagem de satélite nos últimos 20 dias e a redução foi substancial nos focos que tinham em relação a quando nós iniciamos os trabalhos. Portanto, essa é uma fumaça importada”, garantiu José Melo.

A informação se consolida com um outro quadro do INPE mostrando que a fumaça é oriunda de queimadas concentradas principalmente no centro-oeste do  Pará, no norte do Maranhão e noroeste do Mato Grosso.

Os dados apresentados mostram ainda o Histograma de Focos de Calor nos últimos sete dias na Amazônia Ocidental, (entre 25 de novembro e 02 de dezembro). No quadro de distribuição dos 5.784 focos registrados no período, o Pará, que aparece em primeiro lugar, produziu 3.154 focos, o Maranhão 1.214, o Amapá 378, o Mato Grosso 375 e o Amazonas 266.

Na distribuição dos 266 focos de queimada no Amazonas, os municípios de Urucurituba (26 focos), Barreirinha (23), Boa Vista do Ramos (21) e Maués (20) foram os que mais produziram focos de calor, revela o relatório.

Ações de Controle – No dia 13 de outubro, o governador José Melo decretou Estado de Emergência em Manaus e mais 11 municípios da Região Metropolitana por conta do agravamento do clima e da forte fumaça nesses municípios, ao mesmo tempo em que lançou um plano preventivo de combate aos focos de queimada nessa região e outros municípios prioritários.

Uma ação coordenada entre órgãos ambientais do Estado, Federal e dos municípios em parceria com a Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Polícia Ambiental a partir do Centro Integrado de Multiagências para o Combate às Queimadas no Amazonas (Cimaam), instalado na sede da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), permitiu o monitoramento e uma ação eficaz no controle e combate ao fogo, aliada ao início do período chuvoso no Amazonas.

O trabalho integrado inclui intensa fiscalização do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), em parceria com o Ibama e outros órgãos, além do aporte financeiro e compra de equipamentos aos Bombeiros, formação de equipes de brigadistas em vários municípios, campanhas publicitárias, entre outras ações.

Todas as ações são coordenadas a partir da Sala de Monitoramento, que funciona ao lado do Centro Integrado Multiagências, na Sema, de onde os órgãos de fiscalização fazem monitoramento por satélite dos focos de calor e partem para a fiscalização em campo.

Fumaça encobrindo Manaus/Foto: Arquivo

                                              Fumaça encobrindo Manaus/Foto: Arquivo

...e, também, chegando ao município de Barreirinha/Foto: Reprodução

                        …e, também, chegando ao município de Barreirinha/Foto: Reprodução

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.