Amazonas Política

Governador do AM diz que, apesar de impopulares, medidas evitaram quebra do Estado

José Melo ao lado(D) de Flávio Pascarelli/Foto: Vitor Souza
Redação
Escrito por Redação

Por ocasião da posse do novo presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas, desembargador Flávio Pascarelli, na tarde de ontem (04), em coletiva de imprensa, o governador José Melo ressaltou que, por ter se antecipado à crise, e feito as reformas administrativas, com medidas muitas vezes impopulares, segundo ele, o Estado conseguiu manter os salários dos servidores, o pagamento de fornecedores e os serviços essenciais do Estado.
“O governador tem responsabilidades maiores que impõem tomadas de decisões, às vezes amargas, quase sempre impopulares, mas que são  necessárias. Porque o governador não pode deixar o Estado quebrar”, disse Melo, ao ressaltar que, “por ter feito o dever de casa”, o Amazonas figura entre os quatro Estados brasileiros com “um certo equilíbrio fiscal”.

“Isso é a garantia de que a gente paga fornecedor,  isso é garantia de que a gente paga os salários dos servidores em dia, a garantia de que a gente pode adiantar parte do 13º salário. São essas garantias fundamentais. Imagina se o Estado, de repente, atrasa a folha, quantas milhares de pessoas serão prejudicadas? Não é só o servidor não. É o servidor que não paga a taberna, então a cadeia vai completa”.

Melo agradeceu a compreensão de toda a população e aos servidores e ressaltou o esforço da equipe de governo que “cortou na carne” para garantir o essencial. “Eu tô mantendo aquilo que é considerado essência, como as grandes unidades de saúde, a folha de pagamento, segurança sobre controle, entre outras prioridades. O mais importante que qualquer outra coisa é o João Lúcio aberto, o 28 de Agosto funcionando, a folha de pagamento em dia, afinal de contas, muitos estados brasileiros ainda não conseguiram sequer pagar o 13º do ano passado”, enfatizou.

Sobre a mudança de comando no TJAM, José Melo destacou a relação institucional sadia que teve com a desembargadora Graça Figueiredo, que entregou a presidência ao desembargador Flávio Pascarelli, com quem o governador espera uma relação similar. “A desembargadora Graça Figueiredo foi extremamente gentil e teve conosco uma relação fraterna e produtiva do ponto de vista institucional. Não se espera outra coisa do desembargador Pascarelli, magistrado extremamente inteligente, que tem muita experiência e que tem ao seu lado, tanto o corregedor como o vice-presidente, dois desembargadores igualmente experimentados e de grande cultura jurídica. Portanto, temos esperança e certeza de que essa relação institucional vai continuar a mais proveitosa possível para o bem do Estado do Amazonas”, afirmou o governador.

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli Lopes foi eleito no dia 03 de maio., para substituir a desembargadora Graça Figueiredo. Na mesma ocasião, tomaram posse o novo vice-presidente do TJAM, desembargador Jorge Manoel Lopes Lins e o corregedor-geral, desembargador Aristóteles Thury.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.