Amazonas Economia

Governador José Melo participa de lançamento do Plano Agro Mais, em Brasília

Temer reúne governadores pra lançamento Plano Agro Mais/Foto: Beto Barata
Redação
Escrito por Redação
Temer reúne governadores pra lançamento Plano Agro Mais/Foto: Beto Barata

             Temer reúne governadores pra lançamento Plano Agro Mais/Foto: Beto Barata

Articulando a liberação de recursos para o Amazonas, em Brasília, o governador do Estado, José Melo, participou ontem, quarta-feira (24), do lançamento do Plano Agro Mais, do governo federal, com o pacote contendo 69 medidas, anunciado pelo presidente interino Michel Temer, e que tem como objetivo, reduzir a burocracia do agronegócio brasileiro, com ganho de eficiência na economia do setor em torno de R$ 1 bilhão.
Na capital federal, o governador do Amazonas teve reuniões para tratar da liberação dos royalties de petróleo para o Estado e a operacionalização de financiamento de R$ 300 milhões junto ao Banco do Brasil para a implantação da nova Matriz Econômica Ambiental, que prevê investimentos na piscicultura e revitalização de estradas vicinais.

José Melo acompanhou a cerimônia a convite de Temer e afirmou que o novo plano deve contribuir para a retomada do crescimento do país. “O conjunto de medidas atende necessidades do agronegócio brasileiro e tem potencial de levar a uma melhoria no desempenho do setor, que é tão fundamental à economia brasileira. Isso beneficia diretamente a economia do Amazonas, a Zona Franca de Manaus, que tem no mercado interno sua principal força. Quando o Brasil vai bem, a economia do Amazonas caminha com mais rapidez”, disse.

O Plano Agro Mais é do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). De acordo com o governo federal, as medidas serão implementadas imediatamente. Entre elas, o fim da reinspeção em portos e carregamentos vindos de unidades com Serviço de Inspeção Federal (SIF). As duas medidas devem gerar ao governo e ao setor privado ganho de eficiência estimado em R$ 1 bilhão ao ano. Esse valor representa 0,2% do faturamento anual do agronegócio brasileiro, calculado em cerca de R$ 500 bilhões.

Com o plano, haverá o fim da reinspeção nos portos e carregamentos vindos de unidades com SIF, o lançamento do sistema de rótulos e produtos de origem animal, a alteração da temperatura de congelamento da carne suína (-18ºC para -12ºC), revisão de regras de certificação fitossanitárias e o aceite de laudos digitais também em espanhol e inglês.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.