Amazônia Roraima

Governo de Roraima inicia estudo sobre venezuelanos em cidade na fronteira

Pacaraima, cidade brasileira que faz fronteira com a Venezuela/Foto: Divulgação
Pacaraima, cidade brasileira que faz fronteira com a Venezuela/Foto: Divulgação
Redação
Escrito por Redação
Pacaraima, cidade brasileira que faz fronteira com a Venezuela/Foto: Divulgação

Pacaraima, cidade brasileira que faz fronteira com a Venezuela/Foto: Divulgação

O governo de Roraima anunciou nesta terça-feira (30) que uma equipe composta por assistentes sociais e bombeiros militares está realizando um levantamento técnico-social em Pacaraima, cidade brasileira que faz fronteira com a Venezuela.

Conforme o estado, o estudo deve estimar a situação dos venezuelanos que estão vivendo no município, que recebe dia a dia centenas de estrangeiros em busca de comida. Dependendo do resultado do levantamento, o estado poderá decretar situação de emergência na cidade.

A titular da Secretaria do Trabalho e Bem Estar Social (Setrabes), Emília Campos, afirmou por meio da assessoria do governo que o apoio a refugiados é uma atribuição do Governo Federal, mas que em razão dos ‘problemas sociais’ causados pelo alto índice imigratório de venezuelanos o governo vai ‘investir’ na questão.

A assessoria da Setrabes informou que o levantamento será realizado em todo o município e que ele deve estimar a situação e a quantidade dos imigrantes em Pacaraima. A ação é realizada em parceria pela Setrabes e Defesa Civil.

“Após a conclusão desse levantamento que vai identificar os problemas sociais causados pelo alto índice imigratório, deve ser decretada situação de emergência na cidade”, disse o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Edivaldo Amaral.

A reportagem questionou ao governo quais ações serão realizadas efetivamente com a decretação de situação de emergência no município e aguarda retorno.

Venezuelanos em Roraima
A Polícia Federal em Roraima informou ao Site que só que nos primeiros sete meses deste ano, 493 venezuelanos pediram refúgio para permanecer no Brasil. O número representa 110% a mais do que os 234 pedidos registrados ao longo de todo o ano de 2015.

Segundo o governo, a PF informou ainda que 25 mil venezuelanos entraram no Brasil nos últimos seis meses e pelo menos 500 vão diariamente à PF em Pacaraima para ingressar no país.

Além dos pedidos legais, só nos últimos 12 meses, mais de 300 venezuelanos em situação ilegal foram deportados do estado.

Em uma dessas ações, cerca de 60 venezuelanos foram devolvidos ao país vizinho. Parte deles pedia esmolas nas ruas e semáforos da capital roraimense, o que é incompatível com a entrada de estrangeiro do Brasil na condição de turista.

Em julho de 2015, a PF encontrou 16 mulheres venezuelanas trabalhando em casas de prostituição em Boa Vista. À época, a polícia informou que elas tinham vindo por conta própria a Roraima, onde se prostituíam e pagavam 20% do que ganhavam aos donos das casas.

(Jornal Floripa)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.