Amazonas Economia

Governo do AM incentiva jovens empreendedores a criar alternativas de negócios

Presidente René Levy (Fapeam), fala do programa/Foto: Roberto Carlos
Presidente René Levy (Fapeam), fala do programa/Foto: Roberto Carlos
Redação
Escrito por Redação

Divulgado hoje, sexta-feira (25), pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas (Fapeam), através do site www.fapeam.am.gov.br, a lista dos 80 projetos aprovados para a terceira fase do programa Sinapse da Inovação, que tem o objetivo de transformar boas ideias de estudantes e pesquisadores das mais diferentes áreas do conhecimento, em negócios de sucesso.
Para a execução desse programa, o Governo do Amazonas disponibilizou R$ 2 milhões em recursos para serem destinados aos 40 projetos que serão selecionados para a fase final, que acontecerá em novembro deste ano. Cada participante aprovado receberá R$ 50 mil para desenvolver sua ideia.

O Programa Sinapse da Inovação já realizou cinco edições em Santa Catarina e chega pela primeira vez no Estado com uma operação piloto em Manaus promovida pela Secretaria de Estado de Planejamento, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Seplancti), em parceria com o Centro de Referência em Tecnologias Inovadoras (Certi). Uma solenidade realizada nesta sexta-feira, 25 de setembro, no auditório Nina Lins da Universidade Nilton Lins, localizada no Parque das Laranjeiras, zona norte de Manaus, marcou a abertura oficial da terceira etapa do programa.

Para o diretor-presidente da Fapeam, René Levy, o programa colabora para o desenvolvimento de novos negócios no Estado. “O Governo do Amazonas vem atrelando a ciência com o desenvolvimento. E esse investimento vai colaborar para que essas ideias se transformem de fato em empresas promissoras para o desenvolvimento do Estado do Amazonas. É a percepção que o Governo tem de dar esse incentivo para contribuir para o crescimento socioeconômico de nossa região”.

Superação – De acordo com o diretor da Fundação Certi, Leandro Carioni, o projeto Sinapse da Inovação superou as expectativas do Comitê Gestor do programa formado por representantes de instituições públicas e privadas, em relação ao número de propostas apresentadas no Amazonas.

“Esse programa que começou em 2008, em Santa Catarina, teve um volume e qualidade de propostas muito boa. E o que me chama atenção no Amazonas é que o número de proposta foi 500% maior do que estávamos prevendo. Estimamos no início 300 propostas, mas recebemos 1.188 projetos. E isso comprova que o Estado do Amazonas está pronto para um projeto como esse”, destacou.

Proposta aprovada – O projeto da estudante Alline Magalhães, 31, foi um dos aprovados para a próxima fase. A proposta busca oferecer uma nova opção para a culinária amazonense com a criação de um complemento alimentar derivado da junção da farinha de mandioca com o piracuí e camarão.

“Nosso projeto faz parte da área de Bioeconomia com foco na parte alimentícia e queremos oferecer um produto de qualidade e de valor nutritivo agregado para completar a alimentação dos amazonenses. É uma farofa que leva ingredientes nutritivos, como o peixe e camarão, e com adição da farinha da pupunha”, disse.

Oportunidade – Conforme o secretário executivo da Seplancti, Estevão Monteiro de Paula, as 150 propostas aprovadas na segunda fase vão ter espaço na Feira Internacional da Amazônia (Fiam), que será realizada entre os dias 18 e 21 de novembro, no Centro de Convenções do Studio 5.

“É um projeto que vai beneficiar no primeiro momento 40 projetos para começar a estimular ideia. Mas é importante ressaltar que os 150 projetos vão fazer parte do primeiro Demo Day na Feira Internacional da Amazônia, em novembro, para que esses alunos e pesquisadores possam discutir e apresentar suas ideias para investidores para começarmos a dar oportunidade para negociações”.

Avaliações – No início do certame, a Fapeam e a Certi, parceiras na execução deste programa no Amazonas, receberam 1.188 inscrições de propostas inovadoras que passaram por uma primeira etapa de capacitação, proposição e seleção em que se destacaram 150 ideias que foram aprovadas para a Fase 2.

Na fase 2, os proponentes passaram por capacitações, com consultores do Amazonas e de Santa Catarina, estado pioneiro no Programa e agora foram apresentados os 80 projetos melhor qualificados durante esta etapa que seguem para a terceira e última fase da etapa do programa. Na Fase 3, as propostas passarão por uma nova etapa de avaliações. No próximo dia 19 de novembro, será divulgada a lista com os 40 projetos aprovados para a fase de pré-incubação.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.