Amazonas Destaques Esportes

Hamilton se atrapalha e Vettel vence o GP da Hungria, Massa é o 12º

Vettel vence GP da Hungria/Foto: Reuters
Vettel vence GP da Hungria/Foto: Reuters
Redação
Escrito por Redação

As Mercedes deram a brecha e, a exemplo do que aconteceu há três semanas, no GP da Inglaterra, largaram mal. Mas dessa vez, ao contrário do que aconteceu com a Williams em Silverstone, eles não conseguiram se recuperar. Sebastian Vettel se segurou na frente e conquistou sua segunda vitória do campeonato com a Ferrari. Daniil Kvyat foi o segundo, conquistando seu primeiro pódio na carreira, e Daniel Ricciardo foi o terceiro.
A prova foi muito movimentada na parte final. Com Hamilton tendo uma corrida atrapalhada, Rosberg era o segundo com menos de 10 voltas para o final e estava diminuindo significativamente a diferença para o companheiro no campeonato, até que Ricciardo o atacou na disputa pelo segundo posto e os dois se tocaram. Com isso, o pneu de Rosberg furou e o alemão perdeu posições.

Lewis Hamilton teve uma prova complicada: vinha em corrida de recuperação após erro na primeira volta , mas chocou-se com Daniel Ricciardo, terceiro colocado na prova, foi punido e terminou em sexto. Com o resultado, o inglês manteve a liderança do campeonato, ampliando sua vantagem para Rosberg para 21 pontos com nove etapas para o final.

Quem também se aproveitou da corrida maluca foram Max Verstappen, conquistando seu melhor resultado na carreira, com o quarto lugar, e Fernando Alonso, que levou a McLaren ao quinto posto.

Ao cruzar a linha de chegada, Vettel aproveitou para lembrar Jules Bianchi, piloto de 25 anos morto há nove dias em decorrência de um acidente sofrido no GP do Japão de 2014. O alemão dedicou a vitória ao francês, que fazia parte do programa de desenvolvimento da Ferrari.

A corrida foi ruim para os brasileiros: Felipe Massa largou mal, foi punido, e não conseguiu se encontrar com o carro e foi 12º. Felipe Nasr também teve prova apagada e foi o 11º.

Como foi a prova

A primeira largada foi abortada pois Felipe Massa não se posicionou corretamente no grid. Quando a prova começou de vez, as Mercedes saíram lentos e foram superados. Desta vez, pela Ferrari: Sebastian Vettel assumiu a ponta, com Kimi Raikkonen em segundo. Lewis Hamilton ainda saiu da pista ainda na primeira volta, após uma disputa com Nico Rosberg, e voltou na décima colocação, logo atrás de Felipe Massa, que não largou bem. Logo depois, foi confirmada uma punição de 5s para o brasileiro. Felipe Nasr manteve a 18ª posição.

Após a quinta volta, Vettel liderava à frente de Raikkonen, Rosberg, Bottas, Hulkenberg, Kyvat, Ricciardo, Perez, Massa e Hamilton, com o inglês pressionando fortemente o brasileiro, que aguentou até o início da 11ª volta, quando o líder do mundial fez uma bela ultrapassagem por fora na primeira curva. Duas voltas depois, o inglês passou por Perez. Ricciardo também mergulhou por dentro na primeira curva para superar Bottas, depois de ter passado o companheiro Kvyat.

Na volta 14, Bottas e o russo inauguraram as paradas de box. Após fazer sua troca e pagar sua punição, Massa voltou em 17º.
Os ponteiros aguentaram mais tempo na pista, parando só depois da 20ª volta. Rosberg mudou a estratégia e colocou os pneus médios. O alemão não conseguia seguir as Ferrari de perto e via Vettel escapar, com 14s de vantagem para o terceiro colocado, com Raikkonen em segundo, 6s atrás.

Recuperando-se, Hamilton apareceu em quinto após sua parada, atrás também de Ricciardo. O inglês fez a ultrapassagem na 29ª volta e assumiu o quarto posto, enquanto, na briga pela 16ª colocação, Nasr superou Massa, que reclamava do desequilíbrio do carro.

Na briga pela última posição no pódio, Hamilton passou a se aproximar de Rosberg. Ao mesmo tempo, Raikkonen passou a perder potência em sua Ferrari. Na volta 42, contudo, a Force India de Nico Hulkenberg perdeu a asa dianteira e o alemão se chocou contra o muro. O acidente trouxe o Safety Car para a pista, provocando uma correria para os boxes e acabando com a vantagem de Vettel. Ao mesmo tempo, a Ferrari confirmou um problema no sistema de recuperação de energia cinética no carro de Raikkonen.

A relargada foi dada foi Vettel em primeiro, seguido de Raikkonen, Rosberg, Hamilton, Ricciardo, Bottas, Verstappen, Kvyat, Sainz e Button. Porém, Hamilton e Ricciardo tinham pneus macios, enquanto os demais ponteiros estavam com os médios.

O reinício de prova foi emocionante: Rosberg despachou Raikkonen, que logo parou no box e abandonou a disputa pelas primeiras posições. Mais atrás, Ricciardo foi para cima de Hamilton e os dois bateram. Kvyat e Bottas entraram na briga e o finlandês acabou tendo o pneu furado. Considerado culpado pela batida, Hamilton foi punido com um drive through, saindo da zona de pontuação.

O inglês voltou a se recuperar, enquanto Rosberg não conseguia se aproximar suficientemente de Vettel para atacá-lo. O alemão tinha a companhia de Ricciardo, que vinha se aproximando, em terceiro. O australiano tentou a ultrapassagem, passou reto e depois chocou sua asa dianteira com o pneu traseiro de Rosberg, fazendo com que os dois tivessem que ir para os boxes. Mesmo assim, o australiano se manteve em terceiro, perdendo posição apenas para o companheiro Daniil Kvyat.

A Fórmula 1 volta em três semanas, no GP da Bélgica, dia 23 de agosto.

Classificação final
1. Sebastian Vettel (Ferrari)
2. Danii Kviat (Red Bull)
3. Daniel Ricciardo (Toro Rosso)
4. Max Verstappen (Toro Rosso)
5. Fernando Alonso (McLaren)
6. Lewis Hamilton (Mercedes)
7. Romain Grosjean (Lotus)
8. Nico Rosberg (Mercedes)
9. Jenson Button (McLaren)
10. Marcus Ericsson (Sauber)
11. Felipe Nasr (Sauber)
12. Felipe Massa (Williams)
13. Valtteri Bottas (Williams)
14. Pastor Maldonado (Lotus)
15. Roberto Merhi (Marussia)
16. Will Stevens (Marussia)
Ler matéria completa

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.