Cidades

Homem que matou ‘amigo’ em posto de combustível é preso após dois anos

pego-assassino
Redação
Escrito por Redação

Apontado pela polícia como autor do homicídio de Jucicley Nunes de Paula, de 28 anos, fato ocorrido no dia 2 de janeiro de 2014, em posto de combustível localizado na alameda Cosme Ferreira, bairro São José, zona Leste de Manaus. Kedson Matias Pedrosa, de 20 anos, foi apresentado na manhã de quinta-feira (28), na sede da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

O autor do crime foi preso na tarde de quarta-feira (27), na residência dele, situado no bairro Colônia Antônio Aleixo, também na zona Leste da capital, em cumprimento a mandado de prisão expedido no dia 22 de julho de 2014, pela juíza Mirza Telma de Oliveira Cunha.

O titular da DEHS, delegado Ivo Martins, informou que o crime foi motivado por um acerto de contas motivado pelo tráfico de drogas. O mandante do assassinato foi identificado como ‘Bileno’, traficante que se encontra preso na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP). A ordem para execução partiu após a vítima contrariar o traficante.

Durante as investigações, a polícia conseguiu informações que Kedson e Jucicley eram parceiros, e o autor, que é pistoleiro, foi contratado por ‘Bileno’ para executar.

O delegado informou ainda que antes do crime, Jucicley estava dentro da loja de conveniência, quando um homem não identificado, que integra a quadrilha de Kedson efetuou disparos contra a vítima, porém, não conseguiu alvejá-lo. O suspeito conseguiu fugir, após Jucicley reagir a tentativa de homicídio.

“Após sofrer a tentativa de homicídio, Jucicley ainda efetuou alguns disparos contra o autor que fugiu. Em seguida, a vítima ligou para Kedson relatando sobre o ocorrido. Depois de sete minutos, Kedson chegou ao local e conversou por alguns minutos com Jucicley. Ao fingir subir na motocicleta pilotada pela vítima, Kedson efetuou cinco tiros, que acertaram pescoço e cabeça de Jucicley”, explicou o delegado Ivo Martins.

Durante a coletiva de imprensa, Kedson disse estar arrependido e negou a execução a mando de traficante.

“Eu não matei a mando de ninguém, só o matei porque Jucicley estava me ameaçando. Antes dele me matar, matei primeiro. Agora estou arrependido e vou pagar o meu veneno e depois voltar para a sociedade”, declarou Kedson Pedrosa, autor da execução.

Martins foi enfático ao dizer que Kedson foi reconhecido pelas imagens do circuito de segurança do estabelecimento.
Kedson foi autuado pelo crime de homicídio qualificado e encaminhado à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro, onde ficará à disposição da Justiça do Estado.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.