Amazonas Política

Ipham libera duplicação da AM-070 com a aprovação do resgate arqueológico

Ipham autoriza obras de duplicação da Am-070/Foto: Arquivo
Redação
Escrito por Redação

A obra de duplicação da rodovia Manoel Urbano, a AM-070, foi liberada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Na semana passada, em portaria publicada no Diário Oficial da União, o órgão autorizou a implantação do programa de resgate arqueológico e educação patrimonial, com isto, uma equipe de arqueólogos começou, no último fim de semana, o trabalho com visitas aos sítios para coleta de material.
Oito sítios arqueológicos e dois locais com registro de material de interesse foram identificados no relatório feito pela Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra). O programa de Resgate Arqueológico e Educação Patrimonial da AM-070 terá coordenação da arqueóloga Ivone Maria Bezerra. No último fim de semana, a equipe foi ao canteiro de obras, visitou vários trechos e fez o reconhecimento dos sítios.

O resgate de material de interesse para análise laboratorial está sendo feito desde a última segunda-feira, dia 19. Uma equipe de cinco arqueólogos e dez auxiliares está realizando o trabalho, que consiste na separação de material de acordo com o grau de importância e em função da fase histórica e idade.

Nesta primeira etapa de monitoramento, os trabalhos estão acontecendo na área denominada “Sítio do Miranda”, situado no km 23 da AM-070. Todo o material recolhido será classificado e enviado para o Laboratório de Arqueologia da Secretaria de Estado de Cultura (SEC). O relatório final será encaminhamento para o Iphan, que é responsável pelo acompanhamento e fiscalização do trabalho.

O governo já fez o resgate e a catalogação de material arqueológico na AM-070 no primeiro trecho da obra. Em 2013, artefatos arqueológicos, datados de períodos pré-cerâmicos até pós-colonização do Brasil, encontrados ao longo da rodovia ficaram em exposição em uma mostra itinerante organizada pela Seinfra.

A Secretaria de Infraestrutura pretende formalizar uma parceria com a empresa responsável pelo levantamento e acompanhamento arqueológico, a Laghi Engenharia, e a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) para que alunos do curso de arqueologia participem de aulas práticas através do programa de Resgate e Monitoramento da AM-070.

Nova frente de obras – Esta semana, em viagem a Manacapuru, o governador José Melo determinou celeridade nas negociações para as desapropriações ao longo da área de intervenção da AM-070 com a finalidade de abrir uma nova frente de trabalho vindo de Manacapuru para Manaus. Em agosto, o governador inaugurou o primeiro trecho de 11 quilômetros da duplicação da rodovia Manoel Urbano, que compreende o trecho até a entrada de Iranduba.

Já tem obras acontecendo até o quilômetro 30 da rodovia. Em uma primeira etapa, até o quilômetro 20, as equipes trabalham finalizando a pavimentação asfáltica. No restante, estão sendo feitos serviços de terraplanagem. Mais de 200 operários estão trabalhando na construção.

“Estamos conversando com proprietários das áreas onde a estrada vai passar para que eles permitam a gente entrar com a frente de obras de Manacapuru para lá. Essa estrada será fundamental. A sua duplicação está inserida em um projeto de desenvolvimento econômico com base na piscicultura. Com a proposta de expandir a Zona Franca de Manaus para a Região Metropolitana, vejo Manacapuru e Itacoatiara como os polos futuros”, ressalta o governador.

A estrada Manoel Urbano terá 78 quilômetros duplicados, contemplando o trecho que vai da cabeceira da ponte Rio Negro, em Iranduba, até Manacapuru. A obra inclui a construção de duas pistas, acostamento, além da iluminação de toda a extensão da rodovia, a restauração com pintura, jateamento e a duplicação das pontes sobre o rio Miriti e o rio Ariaú. O empreendimento é no valor de R$ 224 milhões, com financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e contrapartida do Governo do Estado.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.