Mundo

Irã aceita abrir usinas nucleares a inspetores da AIEA

Reunião em Viena - Frederica Mogher(UE) e Mohammed Zarif(Irã)/Foto: EFE
Redação
Escrito por Redação

Fontes diplomáticas em Viena afirmam que o Irã aceitou hoje, terça-feira, o monitoramento de suas atividades nucleares em troca da suspensão das sanções contra o país. O acordo, no entanto, não prevê acesso automático de inspetores da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) às usinas iranianas.
O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, classificou a decisão de “erro histórico” e disse que ela abre o caminho para o Irã produzir armas nucleares. A expectativa é de que o desfecho seja anunciado pela União Europeia ao fim da plenária que começou às 8h30m GMT (5h30m, em Brasília).

As negociações com o Irã já duram seis anos e envolvem Estados Unidos, Rússia, Grã Bretanha, França, China e Alemanha.As potências ocidentais exigem que o Irã reduza as suas atividades nucleares para garantir que não será capaz de produzir armamentos.

Denominador comum

Já o governo iraniano sempre afirmou que o seu programa nuclear tem fins pacíficos e quer o fim das sanções internacionais.

Um diplomata afirmou à agência de notícias Associated Press que a chave para o acordo foi encontrar um denominador comum que permitiu abrir as usinas para inspeção. O Irã dará acesso a bases militares aos monitores da ONU, mas o país terá direito de questionar estas requisições, segundo o diplomata.

O governo de Teerã, por sua vez, aceitou que as sanções podem voltar a ser impostas caso o acordo seja violado, fontes diplomáticas afirmaram à agência Reuters.

Um embargo da ONU a armamentos continuaria a vigorar por mais cinco anos e as sanções da ONU sobre mísseis seriam mantidas por oito anos. A Reuters também citou dois diplomatas iranianos que teriam confirmado o acordo.

“Todo o trabalho duro valeu a pena e selamos um acordo. Deus abençoe o nosso povo”, o diplomata disse à Reuters.(Terra/Reuters)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.