Brasil Política

Lula é aguardado em Brasília para ouvir apelo final de Dilma

Dilma aguarda Lula pro último apelo/Foto: Divulgação
Dilma aguarda Lula pro último apelo/Foto: Divulgação
Redação
Escrito por Redação

O ex-presidente Lula é aguardado em Brasília no final da tarde desta terça-feira (15), onde deve ter uma conversa com a presidente Dilma Rousseff para definir as condições para sua entrada no governo.
Segundo interlocutores do ex-presidente, Dilma já fez um forte apelo para que ele assuma um ministério, com o objetivo de reverter o processo de impeachment no Congresso Nacional. Como revelou ontem o Blog, os dois se falaram nesta segunda-feira (14) por telefone.

No governo Dilma, Lula teria como principal missão, neste primeiro momento, barrar o desembarque do PMDB da base aliada. Interlocutores do ex-presidente falaram ao Blog que antes de aceitar o convite para integrar o Ministério, ele deve ter uma rodada de conversas com caciques peemedebistas, inclusive com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

“Não adianta o Lula virar ministro sem ter o PMDB ao seu lado”, ressaltou ao Blog um parlamentar próximo ao ex-presidente. “Sem o PMDB, Lula vai afundar junto com o governo Dilma”, completou.

Além de assumir a coordenação política, Lula tem condicionado sua ida ao governo a uma mudança na condução da política econômica atual.

No Palácio do Planalto, a entrada de Lula é vista como a única saída para reverter o quadro político. Há o reconhecimento de que a presença dele esvaziaria de forma definitiva o poder da presidente Dilma e que Lula assumiria, na prática, o comando do governo. Mas a própria Dilma já deu sinais de que isso não seria um problema para ela.

Na condição de ministro, Lula também passaria a ter como foro judicial o Supremo Tribunal Federal, se livrando da mira direta do juiz Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância.

No Palácio do Planalto já foi construído um discurso para diminuir o desgaste de que Lula estaria tentando escapar da mira de Moro: é de que o STF tem se mostrado muito rigoroso, como foi no jugamento do mensalão.(Blog do Gerson Camarotti)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.