Mundo

Mais de 10 mil jihadistas morreram no Iraque e Síria em ataques aéreos, dizem EUA

Ataques aéreos matam mais de 10 mil na Síria e Iraque/Foto: AF
Redação
Escrito por Redação

Mais de 10 mil jihadistas do grupo extremista Estado Islâmico foram mortos no Iraque e na Síria, desde o início dos ataques aéreos da coligação internacional, há nove meses, disse hoje (03), o subsecretário de Estado norte-americano, Antony Blinken.
“Temos visto enormes perdas para o Daesh (nome árabe do grupo), mais de 10 mil desde o início da campanha e isto vai acabar por ter um impacto”, disse o subsecretário, em entrevista à Rádio France Internacional.

A estratégia da coligação internacional tem sido criticada por se limitar a ataques aéreos e recusar destacar tropas para o terreno, apesar do avanço do Estado Islâmico, mas Blinken assegurou que tem havido “progressos significativos”.

Ao fim de nove meses de combate e cerca de 4 mil ataques aéreos, o Estado Islâmico controla atualmente “menos 25% do Iraque, muito do seu equipamento foi destruído e muitos membros foram eliminados”, disse, reconhecendo no entanto “a resistência e capacidade de iniciativa” do grupo.

Blinken esteve em Paris para participar da reunião da coligação internacional contra o Estado Islâmico que ocorreu ontem (2). As duas dezenas de países e organizações participantes deram o seu apoio ao plano militar do governo iraquiano para reconquistar a província de Al Anbar (Oeste), a maior do país, controlada pelos jihadistas.

“Os Estados Unidos prometeram entregar mísseis que vão fazer a diferença contra os caminhões-bomba que nos fizeram perder Ramadi”, disse o embaixador do Iraque em Paris, Fareed Yasseen, sobre a capital da província Al Anbar, tomada pelo Estado Islâmico em maio.(Agência Brasil)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.