Amazonas Formal & Informal

Mais de 3.500 trabalhadores protestam contra onda golpista no País

Redação
Escrito por Redação

Os movimentos sociais e a Central Única dos Trabalhadores (CUT), atenderam ao chamado do Sindicato da Construção Civil e conseguiram concentrar mais de 3.500 trabalhadores em frente ao canteiro de obras da Capital Rossi, condomínio Reserva Inglesa, Estrada da Ponta Negra, Zona Oeste de Manaus.

 

Os protestos dessa quinta feira, que iniciaram às 06 horas, são contra a onda golpista dos partidos de oposição ao governo e a tentativa de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

 

Estiveram presentes ao ato dessa quinta feira, os sindicatos dos Metalúrgicos, Rodoviários, Correios, Assistentes Sociais e mais de 3.500 trabalhadores da construção civil. Todos os canteiros de obra das imediações ao Shopping Ponta Negra ficaram paralisados até o término do ato público, por volta das 08 horas dessa manha.

 

Diferente das manifestações pró-impeachment da presidente Dilma, dia 16 de agosto último, que não consegui reunir próximo de seis mil populares, os movimentos sociais e sindicatos estão fazendo manifestações pontuais, com uma média de dois a três mil presentes em cada uma delas.

O presidente do Sintracomec, Cícero Custódio, em frente aos canteiros de obra paralisados nessa manhã (20).

O presidente do Sintracomec, Cícero Custódio, em frente aos canteiros de obra paralisados nessa manhã (20).

Na parte da tarde, por volta das 15 horas, a CUT e movimentos sociais estarão se concentrando na Praça do Congresso para uma manifestação pública em favor da Democracia, do fim da corrupção, contra a terceirização e as “pautas bombas”, que tem como único objetivo paralisar o País e inviabilizar o governo Dilma. Os organizadores prometem colocar mais de quatro mil manifestantes nas ruas hoje.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.