Mundo

Mais de mil refugiados entraram na Macedónia pela fronteira com a Grécia

Refugiados entram na Macedônia pela fronteira com a Grécia/Foto: Reprodução
Refugiados entram na Macedônia pela fronteira com a Grécia/Foto: Reprodução
Redação
Escrito por Redação

Mais de 1,5 mil refugiados, a maioria sírios, entraram hoje (22) na Macedónia pela Grécia sem que a polícia tentasse impedi-los, testemunhou um repórter da agência France Presse (AFP). A polícia da Macedónia, durante o dia de hoje, tinha usado granadas e cassetetes numa tentativa de conter centenas de refugiados que romperam vedações de arame farpado na fronteira com a Grécia, mas ao final do dia permitiram que os migrantes entrassem no país.
Agentes da polícia foram vistos na fronteira, mas ninguém permaneceu na faixa de terra entre a fronteira greco-macedónia, onde mais de duas mil pessoas, incluindo mulheres e crianças, estavam retidas desde quinta-feira (20).

Os refugiados esperam conseguir entrar na Sérvia, localizada ao  Norte da Macedónia, para começarem uma nova vida na União Europeia.

O porta-voz da polícia da Macedónia, Ivo Kotevsky, afirmou que a polícia não quis usar a força para deter os migrantes e refugiados, mas que  continuará  a controlar o fluxo de migrantes.

“Continuaremos com o controle reforçado da fronteira, de acordo com o estado de emergência, e iremos (no futuro) permitir a entrada no país de um número limitado de pessoas, de acordo com as capacidades que temos”, disse Ivo Kotevsky em declarações à AFP.

O responsável adiantou que não irão entrar mais pessoas no país pela fronteira com a Grécia, até que o grupo de hoje esteja mais ao norte, “caso contrário haverá uma crise humanitária na Macedónia”.

Milhares de refugiados e migrantes, a maioria da Síria, do Iraque e do Afeganistão, deverão chegar à Macedónia nos próximos dias, depois de chegarem por embarcação das Ilhas Gregas até o Continente.

Na quinta-feira, a Macedónia declarou estado de emergência e fechou a fronteira com a Grécia, numa tentativa de parar o fluxo de migrantes e refugiados.(Agência Brasil)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.