Amazonas Cultura Destaques

Manaus recebe 35º Congresso de Artes da UNESCO, um dos mais importantes do mundo

José Melo recebe Sheik Mohammede Al-Afhan, em reunião/Foto: Herick Pereira
José Melo recebe Sheik Mohammede Al-Afhan, em reunião/Foto: Herick Pereira
Redação
Escrito por Redação
Melo com a comitiva so sheik Af-Akan e Márcio Souza/Foto: Herick Pereira

Melo com a comitiva so sheik Af-Alfkan e Márcio Souza/Foto: Herick Pereira

Manaus vai sediar, um dos mais importantes eventos de artes no mundo, em 2016. Trata-se do 35º World Congress do Instituto Internacional de Teatro (ITI), da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).
um dos mais importantes eventos de artes no mundo, o congresso acontecerá no mês de junho voltado à formação artística e à apresentação de espetáculos. O 35º World Congress do Instituto Internacional de Teatro (ITI), da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), terá artistas nacionais e estrangeiros à frente de palestras, oficinas, masterclass e debates direcionados à classe artística e  estudantes. Em outra frente, o público amazonense será brindado com a entrada em cartaz de 20 espetáculos brasileiros e internacionais nos teatros da cidade.

Os detalhes do congresso de artes da UNESCO foram discutidos hoje, sexta-feira (12), pelo governador José Melo, em reunião com o presidente do ITI e secretário de Cultura e Comunicação de Fujhara (Emirados Árabe), o sheik Mohammed Sai Al-Afkham, e o presidente do Conselho Municipal de Cultura, o escritor amazonense Márcio Souza, responsável pela organização do evento em Manaus. Com o tema “A Natureza é o nosso palco”, o congresso será realizado com apoio do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura, da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos da Prefeitura de Manaus (Manauscult), e da Federação de Teatro do Amazonas (Fetam).

As atividades acadêmicas, que envolvem formação para artistas e estudantes, ocorrerão na sede da Escola de Artes e Turismo da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), onde funcionam os cursos de artes: Teatro, Música, Dança e Audiovisual. Haverá ainda ações nos bairros da periferia com o objetivo de incentivar jovens a ingressarem na carreira artística. Mais de 400 profissionais das artes ligados à UNESCO são esperados para ministrar a programação de formação acadêmica. Os espetáculos que se apresentarão em Manaus durante o congresso serão selecionados pelo ITI por meio de um edital, ainda sem data fechada para divulgação. Aprovados em editais da Secretaria de Cultura e da Manauscult também devem fazer parte da programação.

“É uma honra poder apoiar e receber um evento deste porte em Manaus. Queremos não só ser o palco, mas também costurar parcerias e intercâmbios que beneficiem nossos artistas e estudantes estabelecendo um laço maior e fortalecendo a cultura amazonense”, declarou o governador José Melo.

Presidente do ITI, o sheik árabe Mohammed Sai Al-Afkham afirmou que a realização do congresso no Amazonas é uma oportunidade de artistas de todo o mundo conhecerem a riqueza e a diversidade cultural da região amazônica, com forte herança indígena. O Instituto é considerado a maior organização de artes cênicas do mundo e foi fundado em 1948 por especialistas em teatro e dança e pela UNESCO.

“Entender a cultura dos povos é estar próximo deles. Agradecemos toda essa ajuda prestada para fazermos o congresso. A nossa instituição foi criada depois da segunda guerra e temos o objetivo de conectar as pessoas do mundo inteiro em torno das artes”, afirmou o presidente do ITI.

Rede de escolas de artes cênicas – Uma das propostas com o World Congress da UNESCO é estabelecer uma rede de intercâmbio em escolas de artes cênicas, promovendo maior integração com os cursos de artes brasileiros e abrindo a possibilidade para estudos no exterior. Segundo Márcio Souza, instituições de países como a Suécia, Chipre, Itália e Portugal já manifestaram o interesse de criar parcerias para receber estudantes amazonenses.

“O congresso tem a parte de debates sobre assuntos como liberdade de expressão, perseguição aos artistas e questões políticas que estão ligados ao histórico da ONU. Mas aqui será diferente dos que aconteceram desde 1948, porque terá uma ênfase dada aos jovens que fazem arte: teatro, dança, música, ópera. A maior parte é dedicada à troca de experiências entre jovens, estudantes e artistas”,  disse Souza.

“Virão aqui professores de teatro e artistas, que são professores, para propor uma rede de escolas de artes cênicas para intercâmbio de alunos e professores. A esperança é que a UEA firme convênios com universidades de todo o mundo aproveitando essa oportunidade”, acrescentou o presidente do Conselho Municipal de Cultura.

Outro legado esperado com o evento é fortalecer a estrutura dos teatros em Manaus. Além das salas já mantidas pelo Governo do Estado e Prefeitura de Manaus, outros espaços serão adaptados por instituições como o Serviço Social do Comércio (SESC) e o Ministério da Cultura, afirmou o presidente do Conselho Municipal de Cultura. “A intenção é deixar uma cadeia de 21 salas com qualidade técnica para que os artistas possam fazer temporadas inteiras”, explicou.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.