Amazonas Cidades Destaques

Marcelaine é presa novamente por ameaçar testemunhas

marcelaine
Redação
Escrito por Redação

A socialite Marcelaine Schumann voltou a ser presa agora a pouco por policiais da Delegacia Especializada de Homicídios e Sequestro (DEHS) em cumprimento a mandato de prisão.

 

Ainda não se sabe ao certo os motivos que levaram a prisão da prisão da socialite, mas informações extraoficiais o motivo seria o fato dela estar rondando e ameaçando algumas testemunhas.

 

O fato teria chegado ao conhecimento do titular da Delegacia Especializada de Homicídios e Sequestros (Dehs), Ivo Martins, que representou junto a justiça pedindo que ela fosse novamente presa.

 

Marcelaine estava usando tornozeleira eletrônica desde o último dia 16 de março desde que saiu da penitenciária para cumprir prisão domiciliar. A decisão foi do juiz Mauro Antony, da 3º Vara do Tribunal do Júri.

 

O caso

Marcelanie foi presa pela primeira vez no dia 5 de janeiro acusado de ser a mandante da tentativa de homicídio contra a estudante do curso de Direito Denise Almeida da silva. Denise foi baleada na manhã do dia 12 de novembro deste ano no estacionamento da Academia do Cheik Club na Avenida Getúlio Vargas no centro.

 

Três pessoas foram presas suspeitas de envolvimento no crime. Rafael Leal do dos Santos, de 25 anos, conhecido como “Salsicha”, é apontado como o atirador. Ele foi preso na tarde de quarta-feira na casa do avô na cidade de Anori, a 234 km de Manaus. Rafael teria recebido R$ 3.500 pelo crime.

 

Após ser preso, ele teria confessado a tentativa de homicídio e apontado a participação de outras três pessoas no crime: Charles “Mac Donald” Lopes Castelo Branco, de 27 anos, que teria negociado o crime com a mandante, e Karen Arevalo Marques, de 22 anos, que intermediou o aluguel da arma usada no crime. Ela e Charles foram presos na Rua Miratinga, bairro Jorge Teixeira, Zona Leste de Manaus.

Marcelanie foi presa pela primeira vez no dia 5 de janeiro de 2015.

Marcelanie foi presa pela primeira vez no dia 5 de janeiro de 2015.

 

Após investigações, a Polícia Civil concluiu, por meio das câmeras de segurança do local, que Rafael visitou o local diversas vezes antes de cometer o crime. Ele disparou três vezes contra Denise. Dois tiros atingiram a universitária. Ela foi levada para o Hospital 28 de Agosto, e depois foi transferida para uma unidade de saúde particular da capital. A mulher recebeu alta dois dias após o crime.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.