Amazonas Política

Marcelo Ramos apresenta projetos e diz estar preparado para governar Manaus

Marcelo Ramos e Josué Neto, após o debate/Foto: Assessoria
Redação
Escrito por Redação
Marcelo Ramos e Josué Neto, após o debate/Foto: Assessoria

                                Marcelo Ramos e Josué Neto, após o debate/Foto: Assessoria

Com um discurso sereno e equilibrado de quem está preparado para assumir o comando de uma cidade com mais de dois milhões de habitantes, o candidato da coligação “Mudança para Transformar”, Marcelo Ramos, mostrou tranquilidade e preparo de quem está apto para ser o mais novo prefeito de Manaus.
Focado em suas cinco principais diretrizes de plano de governo, Marcelo explicou como irão funcionar alguns de seus programas: Tempo de Aprender, Meu Bairro Vivo, Saúde em Minha Casa, Cidade Segura e Sistema Inteligente de Mobilidade (SIM).

Marcelo destacou o programa Saúde da mulher e explicou que hoje, Manaus cobre apenas 33% com a Estratégia de Saúde da Família (ESF). “A Estratégia de Saúde da Família no nosso governo vai ser conectada com o Programa Mãe, que vai garantir não só o pré-natal, mas também todos os exames. A Fundação FioCruz fez uma pesquisa e detectou que cada mãe precisa fazer três viagens e andar pelo menos em três lugares diferentes para conseguir  fazer todos os exames de pré-natal”, disse Marcelo.

O candidato esclareceu que a rede de atenção básica é fundamental porque ela consegue resolver 80% dos problemas da saúde, desocupando os leitos da média e da alta complexidade. “Nós vamos perseguir o que determina o Ministério da Saúde que é alcançar com a Estratégia da Saúde da Família, 70% da população. Você mãe e você mulher que precisa de um atendimento diferenciado porque tem problemas de colo de útero, mas que precisa de um atendimento diferenciado porque é mãe e precisa ser bem cuidada nesse momento de gravidez. Nós vamos humanizar o atendimento e fazer com que as mulheres e, principalmente, as mulheres mães, sejam cuidadas com cuidadas com carinho que as mulheres merecem”, afirmou.

Marcelo citou que há muito por ser feito e acredita que está pronto para governar Manaus. “Por isso precisamos fazer a mudança segura e transformadora que a nossa cidade precisa. Mas, nós vamos acabar imediatamente com uma vergonha que acontece hoje que é o cidadão bater na porta de uma Unidade Básica de Saúde e a resposta é que ele está fora da área de atendimento. Quem fica fora da área de serviço é telefone celular. Cidadão que bate à porta de uma UBS é porque está com alguma dor de cabeça, com a diabetes descontrolada. Esse cidadão vai voltar a ser atendido porque nós vamos oferecer a saúde que a nossa cidade merece”, disse Marcelo Ramos.

Infraestrutura

Na infraestrutura e serviços, Marcelo destacou que seu plano de governo tem programa chamado “Meu Bairro Vivo”. O programa visa, através de uma política de incentivo fiscal, levar serviços para bairros como o Novo Israel, que tem uma densidade populacional muito grande, mas que não tem serviços. “O cidadão que mora no Novo Israel para pagar sua conta de água tem que pegar um ônibus e ir para o Manôa porque no Novo Israel não tem banco, não tem supermercado. Nós vamos induzir esses serviços para o Novo Israel. Na outra ponta, nós temos bairros como a Cachoeirinha que tem todos esses serviços e não existe densidade populacional. Através de uma política de incentivo fiscal, nós vamos fazer imóveis de até 60 m2, verticalizar a Cachoerinha para facilitar a vida das pessoas. É isso que é o que nós chamamos de uma mudança segura e transformadora para a nossa cidade”, enfatizou.

Perguntado sobre suas alianças, Marcelo foi preciso em afirmar que não se aliou a candidatos. “Eles se aliaram a mim, o candidato a prefeito sou eu. O líder desse processo sou eu e eu tenho muita alegria de ser um jovem com maturidade suficiente para ser capaz de unir ao seu redor pessoas que podem ajudar a cidade de Manaus. Todo mundo que tentou governar sozinho se deu mal”, alegou.

O candidato falou que para governar uma cidade como Manaus é preciso apoio no senado. É preciso apoio na Câmara Federal, na Assembleia Legislativa, na Câmara de Vereadores. Nós construímos uma grande aliança capaz de atrair o que há de melhor em cada pessoa. “Eu não quero os defeitos do Omar, eu quero as qualidades do Ronda no Bairro. Eu não quero os defeitos do Alfredo, eu quero as qualidades do Médico da Família. Eu não quero os defeitos do Pauderney, eu quero a luta dele pela Zona Franca de Manaus. É isso que faz uma cidade andar para frente. Não são as brigas. Não é a baixaria. O que faz a cidade andar para a frente é a união. É a alegria de olhar para o futuro e sabe que podemos fazer algo diferente”, explicou.

Tempo de Aprender

Na educação, Marcelo destacou o programa Tempo de Aprender. “Eu quero falar de um projeto que vai garantir no contra turno de seu filho que ele tenha uma aula de inglês, uma aula de violão, aula de reforço escolar, conveniando com as igrejas para que você pai, você mãe possa ir trabalhar com tranquilidade e segurança”, reforçou.

Ele ainda mencionou sobre o dia que conheceu uma mãe, Crislane que tem que fazer todos os dias uma das decisões mais difíceis na vida. Ela tem que decidir se sai pra trabalhar ou se fica em casa protegendo seus filhos. “Sei com é duro essa decisão porque a minha mãe, Dona Graça, muitas vezes teve que tomar essa decisão porque fiquei órfão de pai muito cedo. As mulheres de Manaus não vão mais ter que tomar essa decisão. Garantiremos ocupação para nossas crianças da rede municipal de ensina também no contra turno da aula. Vamos dar aos filhos das pessoas mais humildes o direito à aula particular que tem os mais ricos e vamos dar às mães que tem que tomar essa decisão, o direito de trabalhar sabendo que seus filhos estão em segurança”, mencionou.

Uso do dinheiro público

Para Marcelo Ramos, o que falta na administração pública é qualidade na gestão. “Temos que usar o dinheiro público como o faz o pai de família: ele sabe que o dinheiro não vai pra tudo e faz as decisões certas, e não compra camisa nova antes do rancho da casa. Ele não promove um rock em Rio em cidade que não tem merenda na escola. Não arranca o asfalto da Eduardo Ribeiro numa cidade toda esburacada. É esse desafio de cuidar do dinheiro da cidade como um pai de família cuida do dinheiro de casa que nó vamos implantar”, declarou o candidato.

Abrir janelas

Sobre a forma de governar, Marcelo Ramos citou que é preciso acabar com a história de dividir Manaus. “A nossa cidade tem construído muitos muros. Os políticos têm construído muitos muros. Os políticos brigam e a cidade continua sofrendo. Chegou a hora de nós abrirmos janelas, chegou a hora de entendermos que passar a vida inteira discutindo quem tem que asfaltar as ruas do distrito é a Suframa, é o governo ou a prefeitura. São os três: o Polo Industrial de Manaus é importante pra cidade, pra quem trabalha lá. Nós vamos abrir janelas, unir a cidade, não adianta partir para essa ideia de cidade dividida. Tem gente acha que ganhar perdendo vale a pena, acho que só vale ganhar ganhando e ganhar ganhando é ganhar unindo a cidade de Manaus. O povo da cidade de Manaus em torno do objetivo da retomada do desenvolvimento e do progresso.

Ao finalizar, Marcelo Ramos reagiu aos ataques que recebeu em vários momentos do debate dos candidatos Hissa Abraão e Henrique Oliveira. “Eu vim para este debate decido a falar o que eu penso para o futuro da nossa cidade. Eu preciso dizer ao final que este espaço é sério, não é para gracinha. Eu entendi um pouco porque o prefeito não veio. Por alguém se propôs a prestar o patético papel de esquecer todas as humilhações a que foi submetido e cumprir aqui o papel de menino de recado. Por outro lado, alguém que é vice- governador fala como se não tivesse nada a ver com nada. Não é esse o caminho que nós precisamos para a eleição de nossa cidade. Precisamos de seriedade e firmeza, de bom senso, de capacidade de unir as lideranças em torno de um projeto de mudança, mudança segura e transformadora.

Eu sou um manauara, tenho 43 anos, sou alguém que se preparou para o desafio de governar Manaus. Fui vereador, fui deputado, fui presidente do SMTU e sou um dos raríssimos gestores que teve as  contas aprovadas por unanimidade e sem ressalvas pelo TCE. O que nos queremos falar não é do passado e sim do futuro, de uma prefeitura que vai mudar a sua vida, com o Saúde em Minha Casa, Meu Bairro Vivo, Tempo de Aprender, Cidade Segura e o Sistema Inteligente de Mobilidade. Eu e o Josué Neto vamos construir a mudança segura e transformadora. Vote 22, Marcelo Ramos”.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.