Esportes

McEvoy ‘voa’ e faz melhor tempo da história dos 100m livre sem trajes

Redação
Escrito por Redação

O australiano Cameron McEvoy mostrou, nesta segunda-feira (11), que é o grande favorito ao ouro nos 100m livre nos Jogos Olímpicos do Rio. Aos 21 anos, ele venceu a seletiva australiana com 47s04, melhor marca de todos os tempos feita sem os chamados trajes tecnológicos, abolidos a partir de 2010. De forma geral, é a terceira melhor marca da história.

O recorde mundial é de Cesar Cielo, que nadou a distância em 46s91 no Mundial de Roma, em 2009. Também o francês Alain Bernard conseguiu nadar os 100m livre na casa de 46 segundos: 46s94, também em 2009.

Antes da curta permissão para os trajes tecnológicos, o recorde mundial era de outro australiano, Eamon Sullivan, que nadou em 47s05 a semifinal dos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008. Nesta segunda, McEvoy baixou esse recorde nacional em 0s01. Como comparativo, o segundo do ranking de 2016 é o chinês Zetao Ning, com 47s96.

A prova na seletiva australiana foi fortíssima, com Kyle Chalmers chegando em segundo, com 48s03, sexto melhor tempo do ano. Atual campeão mundial júnior, ele tem só 17 anos – fará 18 em junho. Assim, quebrou o recorde mundial júnior, que pertencia ao brasileiro Matheus Santana: 48s35, marca feita em maio de 2014.

Dono do melhor tempo dos 100m desde a proibição dos trajes (47s10, em 2012), James Magnussen foi só o quarto da seletiva australiana e vem ao Rio para nadar o forte revezamento 4x100m livre, que brigará por medalhas contra Brasil, França e EUA.

Apesar da boa expectativa sobre Bruno Fratus e Cesar Cielo (que ainda precisa se classificar) nos 50m livre, o Brasil é azarão na briga por medalhas nos 100m livre. O melhor do País no ano passado foi Marcelo Chierighini, com 48s27. Matheus Santana fez 48s52 e foi só o 21.º do mundo em 2015. O último resultado expressivo foi o 48s13 de Cielo no primeiro semestre de 2014.

(NOTICIAS AO MINUTO)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.