Amazonas Economia

Ministro Marcos Pereira preside 274ª reunião do CAS, em Manaus

Ministro Marcos Pereira preside reunião do CAS, em Manaus/Foto: Divulgação
Ministro Marcos Pereira preside reunião do CAS, em Manaus/Foto: Divulgação
Redação
Escrito por Redação
Ministro Marcos Pereira preside reunião do CAS, em Manaus/Foto: Divulgação

Ministro Marcos Pereira preside reunião do CAS, em Manaus/Foto: Divulgação

O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, preside amanhã, sexta-feira (15), a partir das 10h00, a 274ª reunião ordinárias do Conselho de Administração da SUFRAMA (CAS), quando será avaliada a pauta com 45 projetos industriais e de serviços, sendo nove de implantação e 36 de diversificação, ampliação e atualização.

Somados, os projetos estimam investimentos totais de US$ 252.582 milhões e fixos de US$ 83.855 milhões, bem como a geração de 820 postos de trabalho no Polo Industrial de Manaus (PIM) em até três anos.

Além da deliberação dos projetos constantes na pauta, a 274ª Reunião Ordinária do CAS, também, terá em sua programação a solenidade de lançamento, no Amazonas, de dois programas federais desenvolvidos pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), em parceria com diversas instituições: Brasil Mais Produtivo e Plano Nacional da Cultura Exportadora (PNCE).

O Programa Brasil Mais Produtivo é uma ação focada na melhoria do processo produtivo e tem como objetivo aumentar em pelo menos 20% a produtividade de cerca de três mil empresas industriais que serão atendidas em todo o País. O PNCE, por sua vez, oferece ao setor produtivo ferramentas de capacitação, consultoria e inteligência comercial com o objetivo de impulsionar a economia brasileira por meio das exportações.

Após a solenidade de lançamento dos dois programas federais, também serão realizadas duas palestras técnicas gratuitas, no âmbito do PNCE, voltadas a micro e pequenos empreendedores, profissionais de empresas do PIM e demais interessados. A primeira palestra será proferida pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), com o tema “Financiamento para o comércio exterior”. A segunda será ministrada pelo Ministério das Relações Exteriores (MRE), com foco na atuação dos Setores de Promoção Comercial (SECOMs) do Departamento de Promoção Comercial e Investimentos do Itamaraty.

A programação será encerrada com atendimentos às empresas presentes, entre 13h15 e 14h30, por representantes de instituições parceiras do PNCE no Estado, tais como Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Receita Federal do Brasil (RFB), Correios, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e Centro Internacional de Negócios (CIN/Fieam).

Os interessados em participar do evento de lançamento do PNCE e do Programa Brasil Mais Produtivo no Amazonas, bem como das palestras e dos atendimentos previstos, podem fazer a inscrição, gratuitamente, mediante acesso ao link http://site.suframa.gov.br/noticias/formulario-de-inscricao/. As vagas são limitadas.

Novos investimentos

Entre os 45 projetos industriais e de serviços constantes na pauta da 274ª Reunião do CAS, trinta e seis representam iniciativas de diversificação, ampliação e atualização no PIM. Esses projetos reforçam, principalmente, as cadeias produtivas dos segmentos Eletroeletrônico (inclusive Bens de Informática) e Alimentício.

O projeto com o maior investimento da pauta é o da empresa Positivo Informática S.A., para fabricação de terminal de captura de dados (transações comerciais), com investimento total de US$ 61.9 milhões. O segundo maior investimento é o da empresa Sagemcom Brasil Comunicações, que apresentou projeto de ampliação e atualização, no valor de US$ 47.4 milhões, para fabricação de três itens: modulador e demodulador para comunicação de dados via rede telefônica; receptor de sinal de televisão via satélite com gravador e reprodutor videofônico digital incorporado; e receptor de sinal de televisão via satélite.

Componentes para celulares

Ainda no segmento Eletroeletrônico, diversos projetos são voltados à produção de componentes para telefones celulares, fortalecendo a cadeia produtiva deste item que, atualmente, possui o terceiro maior faturamento entre os principais produtos fabricados no Polo. Três empresas – Flextronics International Tecnologia, GBR Componentes da Amazônia e Qualitech Indústria Comércio e Representações – apresentaram projetos de diversificação para fabricação de carregadores de bateria para telefones celulares. A GBR Componentes da Amazônia também apresentou projeto para fabricação de subconjunto para telefone celular com dispositivo de cristal líquido incorporado. A Masa da Amazônia, por sua vez, apresentou proposição para fabricação de bateria para telefone celular. Esses projetos, somados, totalizam investimentos de aproximadamente US$ 14 milhões.

Diversificação e ampliação no PIM

Outros projetos que merecem ênfase são as proposições de diversificação da Pioneer do Brasil, para fabricação de máquinas de selecionar e contar cédulas (papel-moeda), com investimento total de US$ 1.587 milhão; CIS Eletrônica da Amazônia, com investimento total de US$ 2.33 milhões, para fabricação de unidades digitais de processamento; e Venttos Indústria e Comércio de Componentes Eletrônicos, que apresentou dois projetos – um de ampliação para fabricação de câmeras de televisão para uso em circuito fechado de TV, com investimento total de US$ 4.4 milhões, e outro de diversificação para produção de gravador e reprodutor digital de sinais de áudio e vídeo para sistema de segurança, com investimento total de US$ 2.8 milhões.

No segmento Alimentício, destaque para o projeto de diversificação da Pepsi-Cola Industrial da Amazônia, voltado à fabricação de preparações utilizadas em alimentos, cosméticos e bebidas (exceto à base de substâncias odoríferas), com investimentos totais de US$ 10 milhões.

Projetos de implantação

Entre os nove projetos de implantação a serem analisados, os destaques são os projetos da Klabin S.A. (filial), com investimento total de US$ 12.8 milhões e previsão de geração de 193 empregos, para fabricação de chapas de papelão ondulado, caixas de papel ou cartão e embalagens e artefatos de papelão, e da Unicoba Energia, destinado à produção de módulos de controle e monitoração de iluminação por comunicação sem fio, com investimento total de US$ 1.1 milhão e previsão de geração de 35 postos de trabalho.

PNCE no Amazonas

O lançamento oficial do Plano Nacional da Cultura Exportadora no Amazonas irá ocorrer nesta sexta-feira (15), no entanto, as ações relacionadas a esse programa do governo federal já têm sido desenvolvidas no Estado há, pelo menos, seis meses. O marco inaugural foi a constituição, em janeiro deste ano, do Comitê Gestor do PNCE no Amazonas, com a SUFRAMA à frente da coordenação. Desde então, diversas atividades voltadas à disseminação da cultura exportadora foram promovidas, com destaque para a realização de cursos e capacitações técnicas, ações de sensibilização e atendimentos e consultorias a empresas locais. Como resultado desse trabalho, 72 empresas já estão sendo acompanhadas pelo PNCE no Estado, com ênfase para micro e pequenas empresas que comercializam produtos com matérias primas regionais.

Atualmente, são parceiras do PNCE no Amazonas as seguintes instituições: Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Banco do Brasil, RFB, Caixa Econômica Federal, Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (Cide), Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam), Correios, Federação de Agricultura e Pecuária do Estado do Amazonas (Faea), Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado (Fecomércio/AM), Cin/Fieam, Mapa, Núcleo de Faixa de Fronteira do Amazonas (Niffam), Secretaria de Estado de Planejamento, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Seplan-CTI), Núcleo Estadual dos Arranjos Produtivos Locais, Organização das Cooperativas do Estado do Amazonas (OCB/AM), Sebrae e SUFRAMA.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.