Mundo

Morre Ettore Scola, o mais importante diretor cinematográfico da Itália

Ettore, no set do seu último filme " Que vergonha chamar-se Frederico"/Foto: Reprodução
Redação
Escrito por Redação

Um dos nomes mais importantes do cinema italiano, o diretor Ettore Scola, morreu aos 84 anos de idade, hoje, terça-feira (19), no departamento cardiológico do hospital Policlino, onde estava em coma desde domingo.
Scola nasceu em Trevico, em 10 de maio de 1931, e estudou Direito em Roma, passando depois pelo jornalismo e pelo rádio. Sua estreia no cinema ocorreu em 1964, com a comédia “Fala-se de Mulheres” (Se permettete parliamo di donne).

Após 10 anos, ele ganhou o Prêmio César de melhor filme estrangeiro com “Nós que Nos Amávamos Tanto” (Cïeravamo tanto amati). No Festival de Cannes, Scola venceu na categoria de melhor diretor por “Feios, sujos e malvados” (Brutti, sporchi e cattivi-1976) e por melhor roteiro com “O Terraço” (La Terraza-1980). Outros de seus trabalhos são “Um Dia Muito Especial” (Una giornata particolare-1977) e “A Família” (La Famiglia – 1987).
Premier italiano lamenta morte

O primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, lamentou a morte de Scola. De acordo com Renzi, Scola dominava a “incrível capacidade de leitura da Itália, desde sua sociedade até suas mutações, sentimentos ao longo do tempo e consciência social”. “Deixa um enorme vazio na cultura italiana”, comentou o premier.(G1/Época)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.