Amazônia Mato Grosso

MT: assaltos em Cuiabá deixam taxistas em estado de pânico

Redação
Escrito por Redação

A ação e bandidos em Cuiabá está deixando os taxistas da Capital assustados e aterrorizados com o clima de “guerra” que se instalou nos últimos meses. Pelo menos cinco taxistas estão sendo assaltos por dia – principalmente no período da noite -, em Cuiabá. Um motorista continua hospitalizado depois de levar várias facadas durante um assalto dentro de um motel. Nos últimos anos, vários taxistas foram mortos por bandidos em latrocínios: Roubos seguidos de morte em Cuiabá e Várzea Grande.

O último caso aconteceu na noite desta sexta-feira, 14. É durante a “bandeira dois”, à noite e pela madrugada, que a “coisa fica mais preta e perigosa”.

Cinco bandidos de um bando de assaltantes, sendo quatro garotos e um adulto, foram presos pela Polícia Militar durante um assalto que tinha um motorista como refém.

Duas meninas integrantes do bando serviram como “isca” para atrair um taxista, que ao parar pegar os falsos passageiros foi rendido e feito refém na região da Grande Morada da Serra, na Capital.

Usando uma pistola de plástico – uma arma de brinquedos, os bandidos renderam o motorista, que já como refém foi retirado do volante, assumido por um dos menores. Ao chegar dentro do bairro Morada da Serra (CPA-2), o assaltante que dirigia o carro e confundiu.

Neste momento o própria taxista, usando de sua experiência, orientou o bandido a seguir por uma rua que ele sabia que por lá passaria uma viatura da Polícia Militar. E não deu outra.

Logo surgiu uma guarnição do 3º Batalhão de Polícia Militar e, suspeitando de tantas pessoas dentro de uma taxi, mandou que o veículo parasse, quando os PMs descobriram que se tratava de um assalto. Os cinco acabaram presos e autuados em flagrante em crimes de roubo e formação de quadrilha, mas nenhum deles teve o nome revelado.

REVOLTA – Mesmo destacando que a Polícia Militar vem agindo e prendendo alguns dos bandidos, os taxistas hoje ainda sofrem de pânico quando vão sair de casa. Eles pedem mais segurança, principalmente à noite e pela madrugada, pois segundo eles, são nestes períodos que os bandidos mais agem.

“Estamos saindo para trabalhar sem saber se vamos voltar vivo para casa. É lamentável o que está acontecendo. Todos os dias, pelo menos cinco companheiros nossos estão sendo vítimas de bandidos. Um está ferido grave depois de um assalto”, destacou um motorista que pediu para não ser identificado com medo de represálias.

(24horasnews)

 

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.