Amazônia Mato Grosso

MT: Contrato para construção de Centro de Treinamento para Copa é rompido

Contrato-rompido-de-Centro-de-Treinamento
Redação
Escrito por Redação

O processo de rescisão de contrato para construção do Centro Oficial de Treinamento (COT) Barra do Pari em Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá, foi iniciado nesta quarta-feira (2). A obra, estimada em R$ 31,7 milhões, estava prevista para ser concluída em outubro de 2013 e utilizada durante a Copa do Mundo de 2014. Porém, a obra está parada desde dezembro de 2014.

A Secretaria de Estado das Cidades (Secid) diz que a estrutura foi iniciada em outubro de 2012 e tinha prazo de execução de 360 dias. O valor inicial do empreendimento era de R$ 25 milhões, no entanto, o valor final com reajustes chega a R$ 31,7 milhões. Já foram pagos R$ 21,9 milhões.

Segundo a Secid, três empresas compõem o Consórcio Barra do Pari. A estrutura deverá ser transformada em uma central olímpica/paraolímpica com área de treinamento para as instituições da segurança pública do Estado, como a Polícia Militar e Corpo de Bombeiros.

O secretário da pasta, Eduardo Chiletto, explica que a decisão de rescindir o contrato foi necessária, já que o objetivo do governo é ampliar as funções esportivas e técnicas do local. Com 52,1 mil metros quadrados, a área do COT do Pari tem 69,2% de obra realizada.

De acordo com o secretário, após a rescisão do contrato, a Secid iniciará processo de contratação de empresa para desenvolver o projeto relacionado ao centro olímpico/paraolímpico. A definição pelo cancelamento se deve ao descumprimento, por parte das empresas, em relação aos cronogramas e aos compromissos firmados nos Termos de Ajustamento de Gestão (TAGs) entre o Tribunal de Contas do Estado (TCE) e a secretaria.

Estádio
Projetado inicialmente para ser um estádio com 10 mil torcedores, o COT Barra do Pari teve sua concepção modificada para comportar três mil pessoas. Falta de repasses e greve de operários, passando ainda por pouco material no canteiro de obras e mudança de projeto, foram alguns dos motivos alegados para o atraso.

(Jornal Floripa)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.