Amazônia Mato Grosso

MT: polícia prende 14 funcionários de empresa que desviavam cargas

Redação
Escrito por Redação

Vinte e oito mandados, sendo de 14 de prisão temporária e 14 busca e apreensão, foram cumpridos pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), da Polícia Judiciária Civil, na manhã de segunda-feira (17.08), para desarticular uma quadrilha especializada em furto de defensivos agrícolas, no Estado de Mato Grosso. O grupo simulavam roubos para desviar a carga da empresa onde trabalhavam.

Quatorze funcionários de uma empresa de transporte foram presos pelos crimes de associação criminosa e furto qualificado. Também foram cumpridos outros quatorze mandados de busca e apreensão domiciliar, sendo todas as ordens judiciais decretadas pela Justiça da 4ª Vara criminal da Comarca de Cuiabá.

Foram presos: Augusto Gonçalves da Silva, Alfredo Jesus Gomes Ribeiro, Jarison Rodrigues da Silva, Claudio Moreira da Silva Junior, Rafael Ortiz Ramos, Advagues Benedito da Cruz, Adão Barbosa de Oliveira, Adilson da Silva Oliveira, Joilson Leite, Célio Domingos de Lima, Marcio Ferreira Cardoso, Leandro Ferreira Porangaba, e os irmãos, Marcio Braz da Almeida e Ronaldo Lara de Almeida.

De acordo com a Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), os 14 funcionários de uma transportadora, no bairro Distrito Industrial, em Cuiabá, vinha cometendo os crimes desde novembro de 2014.

Um dos furtos aconteceu em novembro de 2014, quando os acusados simularam um roubo de uma carreta com a carga de defensivos avaliada em R$ 750 mil, que seria levada para o município de Tangará da Serra (239 km a Médio Norte).

Outro furto praticado pela quadrilha no mesmo “modus operandi” foi executado em fevereiro deste ano de 2015, sendo subtraídos defensivos agrícolas no valor de R$ 1,2 milhão. Conforme ocorrência registrada pelo motorista da carreta, a simulação de roubo aconteceu no município de Jangada (80 km ao Norte).

Em investigação, o GCCO constatou que os quatorze funcionários da transportadora tinham um padrão de vida muito acima do valor de salário que cada suspeito recebia. “O que chamou nossa atenção”, disse o delegado Flávio Henrique Stringueta.

Diante das suspeitas novas diligências foram feitas e durante levantamento de informações e coleta de provas foi descoberto o envolvimentos dos funcionários nas simulações de roubo articulado pelo grupo.

Os mandados de prisão e busca e apreensão foram cumpridos por policiais do GCCO com apoio da Gerencia de Operações Especiais (GOE); Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE); Delegacia Fazendária (DEFAZ); Delegacia do Meio Ambiente (DEMA); Delegacia Especializada de Roubo e Furtos de Cuiabá (DERF); e Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos Automotores (DERRFVA).

(24horasnews)

 

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.