Amazonas Esportes

Mulheres abrem Rio-2016, com discurso por igualdade de gênero

As alegres brasileiras não vão brigar não só por medalha/Foto: CBF
As alegres brasileiras não vão brigar não só por medalha/Foto: CBF
Redação
Escrito por Redação
As alegres brasileiras não vão brigar não só por medalha/Foto: CBF

     As alegres brasileiras não vão brigar só por medalha/Foto: CBF

A cerimônia de abertura oficial será na sexta-feira (05), mas as disputas da Rio-2016 já começam , hoje, quarta (03), com uma equipe brasileira competindo. A seleção feminina de futebol entra em campo para encarar a China, às 16h00, de Brasília, no Engenhão, no primeiro dia de eventos dos Jogos Olímpicos. E na mira da equipe do técnico Oswaldo Alvarez, o Vadão, o sonhado ouro não é o único objetivo.

As jogadoras de discursos firmes buscam mais que a medalha inédita. Na cabeça, ideias bem claras e uma luta por reconhecimento, crescimento da modalidade e, principalmente, igualdade de gêneros dentro do esporte.

“É muita coisa envolvida. Vamos admitir que a gente vença. No dia seguinte, vai ter futebol feminino nas escolas? No dia seguinte, as prefeituras vão decidir fazer uma escolinha de futebol? Não temos incentivos no feminino”, avaliou o treinador Vadão. “É muito mais que uma briga pelo ouro. Queremos um modelo para o futebol feminino”, endossou a atacante Cristiane.

E a briga por igualdade das meninas do futebol brasileiro ocorre justamente nos Jogos com a maior participação feminina da história: 45% dos atletas inscritos são mulheres (5.183 dos 11.458 atletas). A aparência de igualdade, no entanto, esbarra em outra estatística: somente 53 das 207 delegações terão o sexo feminino como maioria. O Time Brasil é um exemplo disso, com 209 mulheres e 259 homens.

“É vencer uma cultura de que mulher não pode praticar esportes. Ainda sofremos muito preconceito. Tem muita gente, por exemplo, que diz que futebol não é coisa de mulher. Por que não? Não pode existir isso. Queremos jogar e vencer por isso também”, disse Cristiane, dando o tom do que será o primeiro dia de eventos.

Comandado por Vadão, o Brasil entrará em campo com Barbara; Poliana (Fabiana), Monica, Rafaelle e Tamiris; Thaisa, Formiga, Andressa Alves e Debinha; Marta e Cristiane. As TVs Globo, Bandeirantes e Record transmitem o jogo. Além das mulheres brasileiras e chinesas, outras seleções entram em campo nesta quarta.

Na preliminar, às 13h00, Suécia e África do Sul se enfrentam, também, no Engenhão, em jogo que completa a primeira rodada do grupo E. Na Arena Corinthians, jornada dupla pelo grupo F: Canadá x Austrália às 15h00 e Zimbábue x Alemanha às 18h00. No Mineirão, o grupo G fecha o dia, com Estados Unidos e Nova Zelândia às 19h00 e França e Colômbia às 22h00.(UOL)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.