Amazonas Destaques Formal & Informal

Nair Blair volta à cena e promete colocar “mais lenha na fogueira” em coletiva à imprensa

Nair Blair prometeu dizer tudo que sabe sobre os dois lados.
Nair Blair prometeu dizer tudo que sabe sobre os dois lados.
Redação
Escrito por Redação

“Manaus não será mais a mesma depois que a Nair Blair der uma coletiva à imprensa na próxima quinta feira”, foi o que prometeu o seu assessor de imprensa, Sérgio Murilo, em comunicado no final da tarde da terça feira (20). Ela disse que vai romper o silêncio nessa coletiva a ser realizada na quinta-feira (22), às 16 horas, na sala Açaí 1 do Hotel Blue Tree, da Avenida Umberto Calderaro Filho, 817.

Existem duas possibilidades, ou essa entrevista coletiva se transforma em uma “bomba”, com a Nair Blair dizendo que foi induzida a servir de testemunha dentro do processo que está no TSE pedindo a cassação do governador José Melo, ou ela vai cair na esparrela de repetir o que todos já ouviram falar e, que foi amplamente divulgado e rebatido pela situação, que é a matéria paga e divulgada pelo fantástico da Rede Globo.

Por outro lado, pressupõe que eles: Eduardo Braga, Lírio Parisotto e interessados já sabem que o processo vai cair no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em razão da fragilidade das provas. Então, querem criar um fato novo (escândalo) para tentar influenciar no resultado final.

É provável que os acusadores mandem a Nair Blair confirmar que comprou votos para tentar pressionar os ministros do TSE e o desembargador Yedo Simões, que deverá trazer o voto de minerva no TRE-AM, em outro processo.

Nair Blair prometeu dizer tudo que sabe sobre os dois lados.

Nair Blair prometeu dizer tudo que sabe sobre os dois lados.

O mérito

“Quanto ao mérito, esse julgamento foi o maior cerceamento do direito de defesa dos últimos tempos. Um processo no qual não se permitiu periciar nos únicos 6, sim, apenas 6 recibos (ditos oriundos de compra de voto); não se permitiu pereciar as vozes das gravações do Fantástico e não se permitiu ouvir em juízo os ditos eleitores comprados. Esse processo não pode ser levado a sério, pelo menos, para os operadores do direito”, disse um jurista local consultado pelo Portal.

No resumo da ópera, o que aconteceu foi que a rede Globo e o Fantástico se tornaram provas irrefutáveis. Agora é esperar mais essa cena midiática com a coadjuvante Nair Blair, certamente promovida pelo senador Eduardo Braga e o maior interessado na derrocada do governo, Lírio Parisotto.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.