Amazonas Saúde

No reordenamento da saúde no AM, CAICs e CAIMIs terão serviços ampliados

Tanto os Caics, como os Caimis terão serviços ampliado/Foto: Arquivo
Tanto os Caics, como os Caimis terão serviços ampliado/Foto: Arquivo
Redação
Escrito por Redação

As unidades que prestam serviços de Atenção Básica, os Centros de Atenção Integral à Criança (CAICs) e à Melhor Idade (CAIMIs), também, passarão por mudanças no processo de reordenamento que está em fase de implementação na rede estadual de saúde.
No caso dessas unidades, o principal objetivo das mudanças, segundo o secretário estadual de Saúde, Pedro Elias de Souza, é substituir o modelo de atendimento segmentado, representando principalmente pelo perfil dos CAICs e CAIMIs, por um modelo de atenção integral à saúde da família. Ele ressalta que as mudanças só entrarão em vigor em julho, após concluída a fase de apresentação da proposta de reordenamento aos vários segmentos.

Para cumprir esse novo papel, cinco CAICs serão transformados em Centros de Atenção Integral à Família (CAIFs), passando a funcionar nos mesmos moldes de uma Unidade Básica de Saúde (UBS) tradicional. São eles: CAICs Gilson Moreira e Paulo Xerez (ambos na zona Norte); Alexandre Montoril (zona Sul); José Contente (zona Leste) e Rubim de Sá (zona Oeste). Todos os Distritos da cidade, portanto, contarão com unidades com esse perfil.

“Estas unidades, a partir da implantação do novo modelo, não atenderão apenas a criança, mas toda a família, promovendo o atendimento ambulatorial com ênfase nas doenças prevalentes da infância à idade adulta, e nas ações de saúde de promoção e prevenção de doenças e agravos, principalmente, as doenças crônicas, como diabetes, hipertensão, entre outras”, disse Pedro Elias. Ele observa que, hoje, a rede de saúde tem uma grande demanda de tratamento às doenças crônicas. Por isso, enfatiza, o sistema de saúde precisa buscar eficiência, efetividade e qualidade nas ações preventivas e de acompanhamento dessas doenças.

O secretário destaca, ainda, que reforçar o atendimento de Atenção Básica ajuda a reduzir a pressão sobre os prontos-socorros, que hoje acabam recebendo uma demanda muito expressiva de casos que poderiam ser resolvidos nas unidades da atenção primária. “É importante criar mecanismos para permitir que os prontos-socorros atuem de forma mais eficiente nas urgências de alta complexidade, que é o seu papel”, afirmou.

Além da ampliação do papel desses cinco CAICs, a Secretaria Estadual de Saúde (Susam) utilizará a estrutura de outras três unidades do tipo, para reforçar o atendimento em maternidades e outros serviços da rede, ampliando, por exemplo, a oferta de leitos e permitindo a implantação de albergues, para acolher mães que precisem acompanhar a internação de seus recém-nascidos em tratamento nas Unidades de Terapia Intensiva Neonatais.

Dessa forma, o CAIC Moura Tapajoz, na zona Norte, será integrado à estrutura da Maternidade Azilda Marreira, que ganhará, assim, 30 leitos e albergue. O CAIC Corina Batista, na zona Leste, terá a estrutura incorporada à Maternidade Ana Braga, que também ganhará 30 leitos e albergue. O CAIC Crisólita Torres, por sua vez, receberá os serviços do SPA Zona Sul (o antigo prédio do SPA entrará em reforma).

Os CAICs Afrânio Soares, na zona Sul; Edson Melo, zona Leste; José Carlos Mestrinho e Alberto Carreira, ambos localizados na zona Oeste, serão transformados em outros equipamentos de saúde, ainda em fase de definição. As equipes que atuam nesses CAICs passarão a integrar os novos Centros de Atenção Integral à Família.

Em relação aos CAIMIs, o reordenamento proposto pela Susam prevê que eles sejam integrados à estrutura de outras unidades. Os idosos passam a ser atendidos nas redes de policlínicas, onde terão acesso a uma oferta maior de especialidades. O serviço do CAIMI André Araújo passará para a área ambulatorial do Hospital Francisca Mendes. Sua antiga estrutura, junto com a da Maternidade Nazira Daou, permitirão ampliar 62 leitos de internação cardiológica no Francisca Mendes, bem como a implantação de um banco de sangue na unidade.

O CAIMI Ada Rodrigues Viana passará a funcionar como Policlínica, assimilando os serviços ambulatoriais que funcionavam no SPA e Policlínica José Lins (que passa a funcionar como SPA Família José Lins). Já a área física do CAIMI Paulo Lima abrigará, junto com o CAIC Crisólita Torres, os serviços do SPA Zona Sul. A demanda do CAIMI Paulo Lima passa a ser assimilada pela Policlínica Gilberto Mestrinho.

Policlínicas – O novo modelo da Rede de Atenção em Saúde contará, na atenção especializadas, com os serviços de 6 policlínicas do Estado – Danilo Corrêa (zona Norte); Codajás (zona Sul), Zeno Lanzini (zona Leste); Antonio Aleixo (zona Leste); Gilberto Mestrinho e Cardoso Fontes (ambas no Centro) – além dos ambulatórios das seis Fundações e dos hospitais estaduais e das oito policlínicas da rede municipal. Para este segmento, as mudanças são apenas nos serviços da Policlínica João Braga (zona Norte), que serão absorvidos pela Policlínica Danilo Corrêa. Neste mesmo distrito, há também duas policlínicas de gestão municipal e, brevemente, haverá o ambulatório especializado do Hospital Delphina Aziz.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.