Amazonas Educação

Novos economistas diplomados pela UEA vão atuar no interior do AM

Marcos Evangelista,presidente do Corecon-Am, saúda os diplomados/Foto: Divulgação
Marcos Evangelista,presidente do Corecon-Am, saúda os diplomados/Foto: Divulgação
Redação
Escrito por Redação

A Universidade do Estado do Amazonas (UEA), diplomou 405 alunos do curso de Ciências Econômicas, de 15 municípios do interior do Estado, em cerimônia realizada no fim de semana, no auditório da Reitoria da UEA, onde os novos profissionais se comprometeram em atuar, principalmente, no desenvolvimento do interior do Estado.
A formação dos acadêmicos contou com o acompanhamento do Conselho Regional de Economia do Amazonas (Corecon-AM), que recebeu a homenagem da universidade por contribuir para o desenvolvimento e consolidação do curso oferecido pela universidade na modalidade Presencial Mediada por Tecnologia.

De acordo com a Pró-Reitora de Planejamento da UEA e Coordenadora-Geral do Curso de Ciências Econômicas, Professora Fabiana Oliveira, a formação dos estudantes contribuirá para o crescimento das cidades onde eles estudaram e nos municípios adjacentes. “Ganhará a população e os alunos que terão um grande e importante trabalho para atuar”, afirmou a professora.

A colação de grau dos estudantes ocorreu nos  municípios de Boca do Acre (28 formandos), Carauari (21 formandos), Coari (24 formandos), Eirunepé (34 formandos), Humaitá (21 formandos), Itacoatiara (20 formandos), Lábrea (29 formandos), Manacapuru (19 formandos), Manicoré (39 formandos), Maués (32 formandos), Presidente Figueiredo (31 formandos), Parintins (37 formandos), São Gabriel da Cachoeira (21 formandos), Tabatinga (22 formandos) e Tefé (27 formandos).

Fortalecimento

O presidente do Corecon, Marcus Evangelista, afirmou que a diplomação dos economistas ajudará no fortalecimento da Economia no Estado do Amazonas. “Para nós, essa colação é motivo de muita felicidade, pois temos alguns municípios que não possuem um profissional de economia e os trabalhos da área acabam sendo feitos por pessoas que não tem capacidade técnica para tal. Porém, nossa realidade pode mudar a partir de amanhã com esses 405 novos profissionais”, explicou.

Evangelista apontou que há uma demanda de trabalho no ramo da economia reprimida no interior do Estado, apesar da potencialidade de cada cidade. No entanto, a presença de economistas nos municípios pode explorar, desenvolver e buscar soluções adequadas para os problemas econômicos e sociais que afligem sua população. “O ideal é que os novos economistas possam, inicialmente, estudar as  potencialidade do seu município analisando a peculiaridade da população, a realidade do mercado econômico para poder apontar propostas para o desenvolvimento do local aos gestores da cidade”, afirmou.

O presidente ressaltou ainda que dos 405 economistas, 220 encontram-se registrados noCorecon-AM e que os demais receberão apoiou da entidade através de condições especiais para o registro como profissional. “Assim, o profissional estará sob o teto de proteção do Conselho de Economia”, afirmou Evangelista.

 O curso

Durante a cerimônia, o reitor da UEA, Cleinaldo Costa, destacou a atuação de todos os que colaboraram para a graduação de tantos alunos, acrescentando que o objetivo do curso à distância é dar a mesma formação da capital aos estudantes do interior. “Os 405 novos economistas são o resultado do esforço de muita gente corajosa. Aos novos profissionais, desejo que eles desenvolvam o Amazonas, pensem e planejem o futuro do nosso Estado”, disse.

Lançado em 2010 pela universidade, o curso de Ciências Econômicas busca a formação de profissionais com sólido conhecimento em teoria econômica, com qualificação adequada à formatação de projetos voltados para as melhorias de produtividade e desempenho nas empresas públicas e privadas.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.