Cidades

O eterno problema: eleitores esperam mais de uma hora por transporte coletivo

As filas aumentam nas paradas de ônibus/Foto: Divulgação
Redação
Escrito por Redação

A espera pelo transporte coletivo está deixando os eleitores impacientes na manhã de hoje, domingo de eleição (02).  De acordo com populares que aguardavam ônibus, o tempo de espera por um coletivo chegava a ultrapassar uma hora.
Com crianças de colo, a dona de casa Cristiane Santarém Pereira, disse que faltou organização dos órgãos públicos nessas eleições municipais. Segundo ela, a quantidade de ônibus disponíveis neste domingo não era suficiente para atender a grande demanda de eleitores.

“Estou há mais de uma hora na parada esperando um ônibus para voltar para casa. Quando passa um, tá lotado e o motorista não para. É uma desorganização total. O sistema não está suportando a quantidade de pessoas que estão utilizando o serviço de transporte público. Quem precisa levar os filhos para o local de votação, sofre. Porque a criança fica irritada com a espera e com o calor”, relatou.

As filas aumentam nas paradas de ônibus/Foto: Divulgação

As filas aumentam nas paradas de ônibus/Foto: Divulgação

O sindicato das empresas de ônibus de Manaus prometeram que a frita circularia completa no dia de hoje, com 1.400 coletivos.

A sujeira criada pelos candidatos que jogam seus santinhos nas vias de Manaus é outra situação quem vem deixando a população irritada.

Para os eleitores falta bom senso e sobra irresponsabilidade para quem comente esse tipo de crime.

“Toda eleição é isso e não vemos fiscalizações para combater esse crime. Fica uma sujeira só nas ruas e na frente das casas. O pior é que a prefeitura não passa no outro dia para limpar e esses santinhos fica dias e dias nas vias. Quando chove fica pior, porque eles colam. Hoje à noite, eu mesmo vou ter que limpar a frente da minha casa que tem comércio na parte debaixo para poder abrir amanhã”, disse a comerciante Priscila Santos.(CA/Em Tempo)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.