Amazonas Formal & Informal

O PR pode ter o PROS no seu arco de alianças para a prefeitura de Manaus

Governador José Melo e Marcelo Ramos podem marchar juntos nessas eleições municipais.
Redação
Escrito por Redação

O arco de alianças montado em torno do candidato à prefeito de Manaus em 2016, Marcelo Ramos (PR), pode ter um novo e importante aditivo: a chegada do ainda não anunciado apoio do governador José Melo (PROS), ao grupo político liderado pelo deputado federal Alfredo Nascimento (PR). As tratativas ainda estão nas intenções, mas sinalizam para uma declaração definitiva nos próximos dias.

Fontes internas do PR confirmam as conversas entre Melo e o candidato a prefeito Marcelo Ramos, mas preferem não antecipar o que está sendo firmado entre os dois. O certo é que ninguém quer arriscar um palpite, nem mesmo o secretário geral do PROS, Radyr Jr. Ele não quis antecipar o que está sendo conversado na ante sala do palácio do governo, apenas disse por whatsapp, ao site, que está aguardando orientação do governador José Melo. Só então, vai informar à imprensa.

Os cinco partidos que compõem a coligação “Mudança para Transformar”, composta pelos partidos PR, PPS, PTdoB, PEN e PTC, podem ter a adesão de mais dois nos próximos dias. O candidato Marcelo Ramos e Wilson Lima preferiram não dizer quais são, mas o site apurou e chegou à conclusão, que devem compor a base do PR, o Partido Social Liberal (PSL) e o Partido da Mulher Brasileira (PMB). Outros partidos estão sendo assediados ainda, entre eles o PROS, que hoje tem simpatizantes declarados à candidatura Marcelo Ramos.

O cenário começou a mudar desde que as relações entre o governador e o prefeito Arthur Neto azedaram por conta de repasses de verbas não efetuados à prefeitura. Daí, figuras importantes do grupo político de Melo começaram a virar as costas para o prefeito, visto como fanfarrão. O governador Também.

Governador José Melo e Marcelo Ramos podem marchar juntos nessas eleições municipais.

O governador José Melo e Marcelo Ramos podem marchar juntos nessas eleições municipais.

Correndo por fora

Aparentemente, mesmo sem muita força política para conduzir processos de adesões à candidaturas, o ex-governador Amazonino Mendes estaria contribuindo para a reaproximação do grupo político do governador José Melo ao grupo de Alfredo Nascimento e à candidatura de Marcelo Ramos. O presidente estadual do PDT do Amazonas, Stones Machado, avaliou que isso é possível. “O Amazonino conversa com todos mundo, deve ser uma iniciativa pessoal dele”, desconversou.

O PDT tem candidatura própria, com Hissa Abrahão, que segundo Stones, só não conclui a campanha municipal em 2016 se ele não quiser ou, se ele passar desse plano terrestre para o espiritual. Mas isso não impede que o ex-governador Amazonino Mendes trabalhe outras possibilidades de derrotas, mais sólidas, ao atual prefeito Arthur Neto (PSDB).

Amazonino estaria descontente com o tucano Arthur Neto, que além de perder sua confiança, por não cumprir os acordos firmados na campanha anterior, hoje amarga altos índices de rejeição e falta de credibilidade política administrativa. Arthur, na avaliação de Amazonino “tem tudo para perder essas eleições”.

O tucano teve uma queda de 56% de novembro de 2015 a julho de 2016. De acordo com Stones, Arthur tinha 78% de aprovação em novembro de 2015 e hoje, caiu para 27%, segundo o que foi registrado em pesquisa divulgada pelo jornal Diário do Amazonas, na terça-feira 26 de julho. De acordo com membros de coligações em Manaus, esse número pode ser bem menor. Hoje gira em torno de 23%, em pesquisas para consumo interno dos partidos.

“No entanto, nesse período só o Arthur fez campanha. Ele não teve oposição, teve a imprensa toda do seu lado e a caneta na mão e, mesmo assim, perdeu 56 pontos na aprovação ao seu governo”, destacou Stones. A campanha começa no próximo dia 4 de agosto, quando terminarem as convenções partidárias, aí, começam as preocupações do então prefeito Arthur Neto (PSDB). Os candidatos não vão dar trégua e todos os males da sua péssima administração serão desnudados para a população.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.