Amazonas Destaques Formal & Informal

O prefeito Arthur manda Marcos Rotta pedir “trégua” ao governador

Prefeito Arthur Neto (PSDB)
Redação
Escrito por Redação

O impasse entre empresários dos transportes coletivos, os trabalhadores rodoviários, o prefeito e o aumento da passagem de ônibus ainda não terminou. Agora no final da tarde, o prefeito turista Arthur Neto (PSDB) despachou o seu vice, Marcos Rotta (PMDB), para pedir uma trégua ao governador José Melo e tentar buscar, por sua conta, uma solução que evite a estagnação dos transportes coletivos na cidade e a intriga gerada por ele, nesse setor.

Arthur jogou, mais uma vez, a responsabilidade do aumento da tarifa dos ônibus para o seu vice resolver. Mas enquanto o prefeito de Manaus, continuar discutindo o “sexo dos anjos” dos transportes coletivos e tentando jogar a culpa da sua incompetência no governador do Estado, empresários e trabalhadores fecharam um acordo entre eles, de modo que coloque um fim no indicativo de greve dos ônibus na cidade.

Prefeito Arthur Neto (PSDB)

Em uma reunião, no início da semana, a diretoria dos Rodoviários aceitou a proposta dos empresários de pagar 8% sem o retroativo a maio de 2016, como pretendia os trabalhadores. No entanto, ficou certo que a categoria terá plano de saúde extensivo a um membro da família, esposa ou filhos menor de idade, mais 8% de reajuste na cesta básica.

Para o presidente dos Rodoviários, Givancir de Oliveira, o ganho com o plano de saúde é maior que o retroativo. Que segundo ele, “era só uma vez e o Plano de Saúde é para sempre”.

Entretanto, o acordo entre patrões e empregados depende de uma “conversa” com o prefeito (mais certo que seja com o Vice) e os empresários, agendada para amanhã ao meio dia. Ou seja, o indicativo de greve continua de pé. E o aumento de R$ 3,54 da tarifa, também.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.