Amazonas Cidades

O presidente dos Rodoviários de Manaus mentiu sobre paralisação no Centro

Presidente dos Rodoviários de Manaus, Givancir de Oliveira, mente à imprensa.
Redação
Escrito por Redação

A paralisação anunciada pelo presidente do Sindicato dos Rodoviários, Givancir de Oliveira, para hoje (10), a partir das 10 horas da manhã, no Centro de Manaus, não aconteceu e nem tinha intenção de acontecer.

A decisão da paralisação foi unicamente do presidente Givancir de Oliveira. Ele sequer anunciou a decisão aos outros diretores do Sindicato. Mentiu ao Portal, ao dizer que ia parar o centro de Manaus, por falta de segurança nos transportes de passageiros urbanos na cidade.

Ele falou com todas as letras, que já havia conversado com o Comando da Polícia Militar e com a Delegacia Geral, mas nem mesmo o comandante e o delegado, sabiam dessa conversa.

Quem também não sabia da paralisação eram os diretores e os trabalhadores. Givancir sequer informou ao vice-presidente do Sindicato, da sua decisão de parar o Centro por falta de segurança nos transportes.

Os crimes e assaltos continuam acontecendo em toda a Manaus. Cada dia mais grave. Medidas de repressão são necessárias, é evidente, mas não da forma como o presidente Givancir de Oliveira vem fazendo. Lança balão de ensaio na mídia, dizendo que vai fazer greve e no outro dia não acontece nada.

O descrédito cai sobre o Sindicato, sobre os diretores e sobre os trabalhadores do Sistema. A palavra do presidente do Sindicato dos Rodoviários está precisando de uma polida.

*Pedimos desculpas aos nossos leitores:

O Correio da Amazônia reproduz o que o entrevistado fala, procura ser fiel aos fatos narrados nas entrevistas e transfere a responsabilidade das informações ao entrevistado. O presidente dos Rodoviários mentiu e não estamos dispostos a arcar com esse ônus.

———————————-
Givancir ligou para o Portal Correio da Amazônia, ontem (09) e deu a entrevista, que gerou a seguinte reportagem:

Assalto e falta de segurança vão fazer ônibus pararem amanhã (10) no Centro

O centro de Manaus vai parar nessa sexta feira (10), por duas horas, devido o protesto marcado pelo Sindicato dos Rodoviários, que vai reivindicar mais segurança e repressão aos assaltantes nos transportes de passageiros em toda a cidade.
Os rodoviários dizem que vão responsabilizar o prefeito Arthur Neto (PSDB), pela inoperância e por falta de medidas de repressão aos bandidos, à Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), que não tem nenhuma iniciativa em coibir e dar segurança aos trabalhadores e usuários dos transportes, em Manaus.
Mas também, vão responsabilizar o comandante da Polícia Militar e a Delegacia Geral, pela falta de segurança nos transportes da cidade. “Foram mais de 2.000 assaltos só esse ano, muitos deles com vítimas e não se vê nenhuma medida para acabar com os roubos nos ônibus”, lamenta o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários, Givancir Oliveira.
Conforme disse o presidente dos Rodoviários, os crimes ocorridos dentro dos ônibus é por falta de competência das autoridades municipais e das polícias. “Eles tem câmeras do Centro Integrado de Operações de Segurança (CIOPS), imagens dos assaltantes, nos seus arquivos, sabem dos locais ondem eles costumam embarcar e as linhas mais visadas e, mesmo assim, não se esforçam para prender os ladrões de ônibus”, destaca.
O protesto vai acontecer entre 10 às 12 horas, no terminal da Praça da Matriz, envolvendo todos os ônibus que transitam naquele terminal. Os motoristas e cobradores anunciam que vão “comemorar” os mais de 2.000 assaltos ocorridos só em 2016.
Givancir disse que já fez várias reuniões com o Comando da PM, apontou solução e eles não querem resolver o problema, porque dizem que só pode prender os ladrões em flagrante.
Hoje, o problema se agrava a cada dia mais, com passageiros e trabalhadores dos transportes coletivos aterrorizados e os assaltos persistem assustadoramente.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.