Ambiente Amazônico Colunas

Objetivos do milênio mudam para Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (Por George Dantas)

Ambientalista George Dantas(AM)
Ambientalista George Dantas(AM)
Redação
Escrito por Redação

Na virada do século, numa reunião em Nova Iorque em setembro de 2000, durante a cimeira do milênio, foi publicada a Declaração do Milênio das Nações Unidas, que se tornou o documento mais importante para o início de um novo século.
Esse documento foi assinado por 191 nações que, naquele momento, expressaram sua preocupação com o estado do mundo e como, essas metas, poderiam melhorar a vida de bilhões de pessoas em todo o Planeta em face da chegada e o lumiar de um novo século, onde o progresso deveria caminhar junto com o bem estar das pessoas.

A declaração compreendia oito preocupações, as quais deveriam ser gerenciadas pelos países buscando atingir essas metas entre 2001 e 2015.

1)    Redução da Pobreza
2)    Atingir o ensino básico universal
3)    Igualdade entre os sexos e autonomia das mulheres
4)    Reduzir a mortalidade na infância;
5)    Melhorar a saúde materna
6)    Combater o HIV/Aids, a Malária e outras doenças
7)    Garantir a sustentabilidade ambiental
8)    Estabelecer uma parceria mundial para o desenvolvimento.

Com essa declaração, os chefes de Governo e de Estado, se comprometiam a dar apoio ilimitado aos objetivos comuns e reforçavam a determinação em concretizá-los.

Houve avanços significativos em relação as metas traçadas, porém em algumas outras ficaram a desejam e não foram completamente atingidas.
Diante disso, um novo pacote de metas foram acordadas e já substituem os antigos objetivos e que agora são chamados de 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável que deverão ser atingidos entre 2015 e 2030.

1)    Pobreza: Acabar com a pobreza em todas as suas formas e em todos os lugares;
2)    Fome: Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável;
3)    Saúde: Assegurar uma vida saudável e promover o bem estar para todos, em todas as idades;
4)    Educação: Assegurar a educação inclusiva e equitativa de qualidade e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos;
5)    Equidade de Gênero: Alcançar a equidade de gênero e empoderar todas mulheres e meninas;
6)    Água e Saneamento: Assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e do saneamento para todos;
7)    Energia: Assegurar o acesso confiável, sustentável, moderno e a preço acessível a energia para todos;
8)    Crescimento e Emprego: Promover o crescimento econômico  sustentado, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo e trabalho decente para todos;
9)    Infraestrutura e Inovação para industrializar: Construir infraestruturas resilientes e promover industrialização inclusiva e sustentável e fomentar a inovação;
10)    Desigualdades domésticas e internacionais: Reduzir as desigualdades entre os países e dentro deles;
11)    Cidades: Tornar as cidades e assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis;
12)    Padrões de Produção e Consumo: Assegurar padrões sustentáveis de produção e consumo;
13)    Clima: Tomar medidas urgentes para combater a mudança climática e seus impactos, mas reconhecendo  que a Convenção-Quadro das Nações Unidas (UNCCC) sobre a questão é o principal fórum internacional e intergovernamental para negociar a resposta global a mudança climática;
14)    Oceanos: Conservar e promover o uso sustentável dos oceanos, mares e recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável;
15)    Uso da Terra e Biodiversidade: Proteger, restaurar e promover o uso sustentável dos ecossistemas  terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e estancar a perda da biodiversidade;
16)    Paz e Justiça: Promover  sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso a justiça para todos e construir instituições eficazes , responsáveis e inclusivas em todos os níveis;
17)    Parcerias Globais: Fortalecer os mecanismos de implementação e revitalizar a parceria global para o desenvolvimento sustentável.

Como todos podem observar, o desenvolvimento sustentável está no centro das ações e deve ser o fio condutor das mudanças que os países precisam empreender para que as pessoas tenham direito a uma vida saudável e em equilíbrio com o meio ambiente.(George Dantas – ambientalista)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.