Amazonas Cidades

´Operação Awá´ combate crimes ambientais nas calhas do Solimões, Purus e Japurá

Quelônios e peixes apreendidos na operação/Foto: Divulgação
Quelônios e peixes apreendidos na operação/Foto: Divulgação
Redação
Escrito por Redação

Quelônios e peixes apreendidos na operação/Foto: Divulgação

                            Quelônios e peixes apreendidos na operação/Foto: Divulgação

O Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), em conjunto com Batalhão Ambiental da Polícia Militar, realizou, no período de 12 a 26 de agosto deste ano, a “Operação Awá”, com o objetivo de patrulhamento e fiscalização ambiental, presença ostensiva e ação repressiva no combate aos ilícitos ambientais, como caça ilegal, apreensão de animais desmatamento, queimadas e até narcotráfico e pirataria, na região do Médio e Alto Solimões.
A missão abrangeu municípios e comunidades ao longo das calhas dos rios Solimões, Purus e Japurá, além daquelas existentes dentro das Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Mamirauá e Amanã, assim como a Reserva Extrativista (RESEX) Catuá – Ipixuna.

No viés preventivo, foram realizadas abordagens de caráter legal e pedagógico nos municípios de Codajás, Beruri, Coari, Alvarães, Uarini, Anamã, Tefé e Fonte Boa, bem como nas comunidades de Tabuleiro do Ferro, Novo Viola, Porto Boa Vista, Bate-Papo, Acari, São Pedro, Itaúba, Itaituba, Jubará, Tucuiú, São José do Cuiú-Cuiú, São João do Ipecaçu, Ubim e Nova Esperança, visando a conscientização da população ribeirinha na adoção de práticas ecologicamente sustentáveis.

“Esta é uma região é bastante problemática quanto à ocorrência de crimes ambientais. É uma operação que envolve um esforço coletivo do Ipaam e do Batalhão por região de difícil acesso e muitos riscos”, disse o gerente de Fiscalização do Ipaam, Rodrigo Serafini.

Apreensões – No que se refere aos crimes e infrações contra a fauna foram apreendidos 2190 Kg de Pirarucu, 1 pirarucu de cativeiro, 346,5 Kg de carne de caça, 261 ovos de quelônio, 21 quelônios e 5 aves em extinção resgatadas. Quanto aos crimes e infrações contra a flora foram apreendidos 12m³ de madeira serrada, 350 Kg de carvão vegetal e realizado procedimento em uma área com intervenção em Área de Preservação Permanente – APP.

Ao todo foram lavrados 35 (trinta e cinco) Autos de Infração que totalizaram mais de 1.800.000,00 (um milhão e oitocentos mil reais) em multas, ademais também foram lavrados 39 (trinta e nove) Termos de Apreensão/Depósito, 06 (seis) Termos de Doação, 07 (sete) Termos de Soltura, 07 (sete) Termos de Destruição, 02 (dois) Termos de Embargo e 1 (uma) Notificação.

Durante o período da operação, enfatizou-se também o combate aos crimes de narcotráfico e roubos a embarcações (pirataria), sendo abordadas, aproximadamente, 137 embarcações e 3.780 pessoas, culminando com a condução e a prisão de diversos infratores, apreensões de 04 armas de fogo, 32 munições de diversos calibres, 08 embarcações, 02 motores de popa e 1 escavadeira, resultando na formalização de 11 TCOs e 14 flagrantes delitos.

Estrutura – Foram utilizados na operação 01(uma) Embarcação Ferry Boat e 02 (duas) lanchas de ação rápida, somado a um efetivo de 19 (dezenove) policiais militares do BPAmb, 02 (dois) policiais militares do canil com cão farejador e 3 (três) fiscais (analistas ambientais) do Ipaam.

Os recursos são provenientes do Programa ARPA, gerenciado pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema), que apoia as Unidades de Conservação do Estado.

A derrubada de madeira ilegal, em meio a mata/Foto: Divulgação

                           A derrubada de madeira ilegal, em meio a mata/Foto: Divulgação

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.