Amazonas Cidades

Operação ‘Centro Seguro’ reduz roubos de celulares e faz apreensão de aparelhos

Policiais apreendem objetos irregulares/Foto: Daniel Landazuri
Policiais apreendem objetos irregulares/Foto: Daniel Landazuri
Redação
Escrito por Redação

As ações de segurança realizadas no Centro de Manaus, têm reduzido as ocorrências de roubos de celulares na área Central, segundo divulga a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), hoje, quarta-feira (23), em mais uma etapa da operação, pela manhã, quando uma pessoa foi indiciada por crime de descaminho, e apreendidos 133 aparelhos celulares e oito tablets. Participando da ação, fiscais municipais notificaram 22 lojas que estavam com alvará de funcionamento desatualizado.
De acordo com o Secretário-Executivo de Operações da SSP-AM, Pedro Florêncio, há duas semanas, as ações no Centro de Manaus foram intensificadas para inibir os crimes de roubos e furtos, alimentados pelas vendas irregulares de produtos sem nota fiscal e comprovação de origem.  “As operações serão contínuas como forma de inibir os crimes de roubos e furtos, que são alimentados pela venda de produtos sem comprovação fiscal”, disse.

Do dia 11 até hoje, a SSP-AM registrou a redução de 38% no número de roubos de celulares na área Central, comparado ao mesmo período de 2014.  Na loja Start Game Import cerca de 18 celulares falsificados, usados e originais foram apreendidos e o proprietário da loja, Hudson Cardoso Pereira, foi encaminhado ao 24º DIP. De acordo com o delegado Luís Carrasco, Hudson foi indiciado pelo crime de descaminho de mercadoria e irá responder em liberdade.

Ao todo, 28 lojas foram fiscalizadas. Em algumas foram apreendidos celulares, que, segundo os lojistas informaram, foram entregues para manutenção e conserto, sem nome do proprietário do aparelho celular. “Os lojistas não apresentaram o nome e nem o telefone de contato dos proprietários daqueles celulares apreendidos. Mas o dono do celular pode se dirigir ao 24º DIP com a nota fiscal e ter seu aparelho de volta”, disse Pedro Florêncio.

Os proprietários dos aparelhos possuem 30 dias para se dirigem ao 24º DIP ou na Semef com nota fiscal ou comprovante de origem para receberem o material de volta. Após esse período, todo o material apreendido na operação será destruído.

O coordenador do projeto Centro Seguro pela Prefeitura de Manaus, Luiz Alberto Nazareth, explica que o material apreendido em lojas e galerias foi encaminhado para o 24º Distrito Integrado de Polícia (24º DIP), e os celulares recolhidos na rua com vendedores informais serão levados para a Secretaria Municipal Economia e Finanças (Semef).

O subcomandante da 24ª Companhia Interativa Comunitária (24ª Cicom), tenente Bruno Batista, orienta a população sobre evitar a compra de aparelhos celulares de procedência duvidosa. “O cidadão que procura uma dessas lojas ou vendedores ambulantes no Centro e percebe que o celular aparenta ser usado e que não possui nota fiscal, está ciente da origem irregular do material e contribui para esse tipo de crime”.

...e fiscais verificam legitimidade das mercadorias/Foto; Daniel Landazuri

                      …e fiscais verificam legitimidade das mercadorias/Foto; Daniel Landazuri

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.