Amazonas Colunas

Oportunidade para refletir sobre o erro da escolha – por Garcia Neto

Redação
Escrito por Redação

Ainda sob os efeitos de amarga decepção, por ter errado na escolha da Assistente Social D. Lindinalva Ferreira para o cargo de prefeita, nas eleições municipais de 2012 pelo PT, o eleitor de Novo Airão-AM já está com as barbas de molho à espera do aparecimento de futuros candidatos a prefeito e a vereador, com suas promessas, promessas e mais promessas de campanha.

 

Conforme comentários, percebe-se que o cidadão airãoense não está para brincadeira, está, sim, cada vez mais convencido do significado que a política tem na vida de cada um, e desta vez promete fazer valer o poder do voto consciente e responsável nas urnas, “pelo menos elegendo o menos mentiroso”.

 

Faltam exatos 14 meses para as eleições municipais e as manifestações em torno de possíveis nomes estão acontecendo a cada dia, a cada semana, com reuniões na casa de amigos, nas comunidades, tem atendimento médico e odontológico, distribuição de medicamentos, de passagens fluviais e terrestres, ranchos, além de outras formas sublimes do exercício da caridade política que envolve gastos públicos de campanha.

 

As eleições do ano que vem também vão possibilitar a escolha da representação do povo na Câmara Municipal, que desde a era Leosvaldo Roque, “o Gordo”, o colegiado de vereadores só trabalha em causa própria.

 

Apesar de a gestão Lindinalva ser considerada “ruim” ou “péssima” por mais de 75 % em todas as pesquisas realizadas no município, a prefeita deve sair para a reeleição, desta vez pelo PSB do deputado federal Silas Câmara. Outros nomes começam aparecer dentro do cenário político airãoense, estando entre os mais cotados o vereador petista Kleber Bechara e o empresário Frederico Junior.

 

Ainda há aquele político obstinado que, para se manter na mídia, publica fotos do filho ao lado do governador ou de algum secretário anunciando benefícios para o município que nunca chegam ou, ainda, ficam nas denuncias dos desmandos da prefeita, cobrando ação política para cada caso.

 

Ficou provado que escolher um péssimo governante significa uma queda brutal na qualidade de vida de cada munícipe. Depois de eleito, ele é o gerenciador dos impostos que pagamos, daí que precisamos dar mais valor à política e, sobretudo, acompanhar com atenção e critério tudo o que ocorre em nossa cidade.

 

É dever de cada eleitor votar em políticos com passado limpo e com propostas voltadas para a melhoria de vida da coletividade. Portanto, cada voto deve ser valorizado de forma consciente, como consciente é aceitar a idéia de que os políticos não são todos iguais: existem os corruptos e os incompetentes.

 

Importante saber quem é quem nesse mundo obtuso da política, e é só através de uma abordagem com o candidato se pode fazer uma leitura sobre suas pretensas ações caso seja eleito; temos de saber o que ele anda fazendo, se se envolveu em alguma maracutaia ou em ilícitos.

 

A cobrança é um direito que o eleitor tem dentro de um sistema democrático. Por exemplo, temos políticos preocupados com a inépcia da prefeita e desenvolvem trabalhos paralelos em beneficio dos mais carentes, como o faz o vereador Kleber Bechara, como o faz o possível candidato a prefeito, o médico Miguel Carratte, que deve concorrer com o apoio do governador José Melo e do prefeito Arthur Neto.

 

E fica a dica: o voto numa democracia é uma conquista do povo e deve ser usado com bastante critério e responsabilidade. Votar em qualquer um pode trazer conseqüências negativas sérias no futuro. O que foi que o Gordo fez? Quais foram as realizações de D. Lindinalva? Depois, senhoras e senhores, será tarde demais para o arrependimento.

 

*Garcia Neto é professor e jornalista

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.