Amazonas Destaques Política

Órgãos estaduais firmam acordo para combater queimadas no AM

Secretário Antonio Stroski(Sema)/Foto: Assessoria
Redação
Escrito por Redação

Um acordo de cooperação para o combate a queimadas no Amazonas, foi firmado entre a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas e Defesa Civil do Estado. Por ocasião da assinatura do documento, os gestores das pastas assumiram o compromisso de atuar de forma integrada, repetindo a parceria bem-sucedida de 2015, mas, desta vez, com um planejamento específico baseado nas experiências registradas no ano passado que contemplam o mapeamento das áreas mais sensíveis a focos de calor.
Os órgãos cruzaram dados de localização das ocorrências de queimadas em todo o Amazonas e definiram 23 áreas de atuação prioritária. Essas áreas foram as que mais apresentaram focos de calor, em 2015. A intenção é apertar o cerco contra ilícitos ambientais trabalhando a prevenção e fiscalização para que o dano ambiental não aconteça.

“Unindo forças, além de evitar danos ambientais, preservamos as riquezas naturais do Estado, economizamos recursos e potencializamos as ações. O plano consolida as ações de Governo do Estado para a prevenção e combate as queimadas”, destacou o titular da Sema, Antonio Stroski.

Extrações ilegais visam beneficiar olarias – Eles identificaram ações predatórias recorrentes que contribuem para queimadas. Em algumas áreas as queimadas estão ligadas a extração seletiva de madeira. Na prática, o infrator seleciona uma espécie de madeira, faz a extração ilegal e, consequentemente, a queimada, onde há ocorrência de determinada espécie de árvore. O Ipaam identificou que o desmatamento ilegal em Nova Airão, por exemplo, ocorre pela preferência de infratores por uma espécie específica de madeira que é transformada em lenha para abastecer olarias na região.

“O levantamento do Ipaam mostra a linha de ação do infrator na extração de madeira, quais espécies de madeira mais impactadas, as regiões onde ocorrem e que podem ser alvo de crimes ambientais”, disse diretora técnica do Ipaam, Artemisa do Vale.

Os órgãos estão trabalhando no planejamento do Plano de Ações de Controle, Monitoramento e Combate a Incêndios Florestais e Queimadas desde janeiro desde ano para construir uma matriz que impeça que o cenário de focos de calor de 2015 se repita este ano. O planejamento do grupo observa desde as previsões climáticas até ações de educação ambiental, monitoramento, fiscalização e multa.

“Essa parceria mostra o compromisso do Governo do Estado de trabalhar a prevenção e combate às queimadas. Estamos sempre atentos para o combate ao fogo, mas com o trabalho da Sema, Ipaam e Defesa Civil temos uma força maior, além da educação ambiental prevenindo que o dano aconteça”, destacou o comandante geral do Corpo de Bombeiros, Fernando Sérgio.

Cel. Fernando Sérgio, comandante do Copo de Bombeiros/Foto: Assessoria

Cel. Fernando Sérgio, comandante do Copo de Bombeiros/Foto: Assessoria

Plano de Ações de Controle, Monitoramento e Combate a Incêndios Florestais e Queimadas – O plano unifica as equipes, bem com os serviços de inteligências que alimentarão um banco de dados para nortear as ações que serão desenvolvidas. Na prática, em uma ação de fiscalização, o plano propõe que, ao invés de cada órgão trabalhar de forma separada, a equipe que irá ao local de ação conte com um agente da Ipaam, Sema, Corpo de Bombeiros e Defesa Civil. A representação de cada órgão que atuará na atividade fim é para dar celeridade a todos às providências necessárias. O papel dos órgãos está bem definido e cada um trabalhará de forma integrada, mas observando suas competências e especificidades.

O plano está baseado basicamente em quatro itens que contemplam uma série de outras áreas. O primeiro é a educação e sensibilização, seguido da mobilização e prevenção. No terceiro momento, há a fiscalização e combate aos incêndios florestais e controle de queimadas. O último ponto é o levantamento de dados e monitoramento.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.