Amazonas Educação Política

Outubro é o mês de reflexão sobre a violência contra os educadores

Educadores em sala de aula/Foto: Arquivo
Redação
Escrito por Redação

A Lei Municipal nº 1.668/2012, de autoria do Vereador Mitoso, dispõe sobre a implantação de medidas de prevenção à vitimação dos educadores no exercício das suas funções, oficializando o mês para a “Reflexão sobre a Violência contra os Educadores”, a ser celebrado anualmente em outubro.
A insegurança e a violência, que têm visibilidade nos espaços públicos, incidem de forma mais sutil no interior das escolas, atingindo física e moralmente os educadores, assim compreendidos, todos os profissionais que atuam no meio escolar, concernente a professores, dirigentes educacionais, pedagogos, orientadores educacionais, agentes administrativos, entre outros. Em muitos casos até mesmo seu patrimônio é afetado, como por exemplo, os atos de vandalismo contra os seus veículos.

Estresse, fobias e distúrbios psicológicos são consequências da sujeição à violência, comprometendo seriamente o bem-estar físico, psíquico e a qualidade do trabalho dos profissionais vitimizados na escola, repercutindo no próprio desempenho do processo educacional.  A iniciativa visa criar um momento de encontro e convergência para a reflexão envolvendo a escola, os alunos, pais e a sociedade, no intuito de discutir e buscar soluções para a violência contra os educadores.

Não se trata de problema localizado, mas disseminado em toda a comunidade escolar. A insegurança e a violência, que têm visibilidade nos espaços públicos, incidem de forma mais sutil no interior das escolas, mas não menos insidiosamente, pois atingem física e moralmente os educadores, e em muitos casos até mesmo seu patrimônio é afetado, como por exemplo, os atos de vandalismo contra os seus veículos.

Levando em conta que se trata de questão de extrema importância para o Município de Manaus, e sendo do interesse local, apresentou o Vereador Mitoso o seu Projeto de Lei no intuito de avançar nessas propostas e debates que ora se realizam em diferentes instâncias da representação legislativa em nosso país.

A matéria é relevante por abordar justamente a questão da prevenção e do bom encaminhamento dos conflitos na escola, buscando pela via do diálogo e dos debates o enfrentamento do problema.

A celebração criada a partir da Lei 1.668/2012 constitui um momento de reflexão, podendo o Poder Público, em conjunto com as escolas, definir ações como palestras, debates, encontros de profissionais da educação com entidades representativas da categoria, alunos, pais e instâncias da sociedade civil, entre outras atividades.

O momento será oportuno para o contato e o envolvimento nesses debates tanto do público imediato da escola, diretamente relacionado às situações de violência, ou seja educadores e alunos, como também seus pais e a sociedade em geral, além dos profissionais que atuam na educação ou áreas afins, como psicólogos, membros de instituições de proteção à criança e ao adolescente, assistentes sociais, entre outros.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.