Amazônia Pará

PA: aniversário de Belém teve vaias e protestos

Redação
Escrito por Redação

Na tão esperada comemoração do aniversário de 400 anos da fundação de Belém, o que ficou em evidência mesmo foi a insatisfação da população com a administração do prefeito Zenaldo Coutinho (PSDB). Sua ida ao Ver-o-Peso para o tradicional corte do bolo para celebrar o dia 12 de janeiro foi marcada por manifestações de diferentes grupos. Também ganhou destaque a ação de uma equipe da Ronda Tática Metropolitana (Rotam), que se utilizou de spray de pimenta para dispersar a população que se aproximava de forma mais nervosa para cobrar o prefeito.

Marcada para as 9h30, a cerimônia só começou perto das 11h, quando finalmente chegaram Zenaldo e o governador Simão Jatene (PSDB). Os correligionários já se amontoavam em cima de um pequeno palanque construído no meio da rua e em frente ao Mercado de Carne. Com a demora, a população começou a reclamar do calor e de fome, sob os gritos de “queremos bolo!”. Até o sistema de som deu defeito e uma banda musical assumiu o papel de não silenciar as comemorações.

Quando Zenaldo chegou e anunciou que há um projeto de reforma do Ver-o-Peso prestes a começar, ouviu vaias mais altas e xingamentos, como “mentiroso” e “traíra”. Então elevou um tom de voz irritado, lamentando que aquele era um dia de festa, mas que havia pessoas interessadas em estragar o momento. Bolo cortado, Zenaldo seguiu rumo à Praça dos Estivadores para inaugurar um monumento.

TENSÃO
A caminhada feita por Zenaldo rumo à Praça dos Estivadores, escoltada pela Rotam e pela GMB, contou com pelo menos 3 momentos de tensão. Ao cruzar com uma manifestação de representantes de religiões afro-brasileiras, o prefeito ouviu xingamentos de “preconceituoso” e cobranças por ações efetivas na educação e na saúde. Próximo à Estação das Docas, houve um princípio de tumulto e a Rotam lançou mão do spray de pimenta, que acabou atingindo quem estava só de passagem, participando da festa, ou trabalhando. Um carro-som posicionado próximo à Escadinha bradava as falhas de Zenaldo como administrador de Belém e lembrava de seus compromissos de campanha eleitoral voltados aos “três S”: saúde, saneamento e segurança.

Em mais um momento de tensão, já chegando à Praça dos Estivadores, o comandante da Guarda Municipal, Fernando Queiroz, foi atingido com um soco no rosto por um manifestante. Este foi levado até a viatura da Rotam praticamente sendo enforcado com um saco plástico pelos policiais, que só deixaram de sufocá-lo quando perceberam que fotógrafos e cinegrafistas registravam a agressão.

No fim da programação, em meio à inauguração do monumento no centro da Praça dos Estivadores, uma correria em direção a Zenaldo Coutinho fez com que a Rotam usasse o spray de pimenta mais uma vez. Dessa vez, nem a imprensa foi poupada. Fotógrafos e repórteres que cobriam as comemorações foram atingidos pelo efeito do produto. A programação encerrou ao meio-dia. Duas pessoas foram detidas e encaminhadas para a Seccional Urbana de São Brás.

A dona de casa Edinair Rocha, 51 anos, que comparece à comemoração todos os anos, lamentou cantar parabéns para uma cidade que carece de investimentos em saúde. “Reformar o Ver-o-Peso é bom, mas a saúde está precisando mais e precisa urgente”, comparou. A administradora Socorro Oliveira, 42 anos, disse que gostaria de ver sua cidade mais limpa. “É um problema de todo mundo, da Prefeitura e da população também.”

(Diário do Pará)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.