Amazônia Pará

PA: Belém é a 3ª pior capital do Brasil em bem-estar

Belém (PA) ocupando o 25º lugar/Foto: Divulgação
Redação
Escrito por Redação
Belém (PA) ocupando o 25º lugar/Foto: Divulgação

Belém (PA) ocupando o 25º lugar/Foto: Divulgação

Um levantamento inédito feito pelo Observatório das Metrópoles, coordenado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), elaborou um ranking do bem-estar nas cidades brasileiras: entre as capitais, Belém ficou na antepenúltima posição, ocupando o 25º lugar.

No estudo sobre o Índice de Bem-Estar Urbano (Ibeu), foram considerados cinco indicadores de qualidade: mobilidade urbana, a exemplo do tempo de deslocamento de casa para o trabalho; condições ambientais (arborização, esgoto a céu aberto, lixo acumulado); condições habitacionais (número de pessoas por domicílio e de dormitórios); serviços coletivos urbanos (atendimento adequado de água, esgoto, energia e coleta de lixo); e infraestrutura.

Quanto mais próximo de 1,0, melhor é a condição de bem-estar urbano. Nessa medição, entre as capitais, Belém teve nota 0,6593, ficando no 25º lugar, atrás apenas de Porto Velho (RO), penúltima colocada, e de Macapá (AP), último lugar no ranking.

No lado oposto da tabela, as três melhores capitais no ranking do bem-estar são: Curitiba (PR), no terceiro lugar; Goiânia (GO), segunda colocada; e Vitória (ES), considerada pelo estudo a melhor capital, com nota 0,9000.

A cidade brasileira quer ficou em primeiro lugar geral entre os 5.565 municípios do país foi Buritizal, em São Paulo, com nota 0,951. Já a pior cidade na lista foi Presidente Sarney (MA), com nota 0,444.

RANKING DAS 27 CAPITAIS BRASILEIRAS

1. Vitória (ES) – 0,9000
2. Goiânia (GO) – 0,8742
3. Curitiba (PR) – 0,8740
4. Belo Horizonte (MG) – 0,8619
5. Porto Alegre (RS) – 0,8499
6. Campo Grande (MS) – 0,8275
7. Aracaju (SE) – 0,8214
8. Rio de Janeiro (RJ) – 0,8194
9. Florianópolis (SC) – 0,8161
10. Brasília (DF) – 0,8131
11. Palmas (TO) – 0,8129
12. São Paulo (SP) – 0,8119
13. João Pessoa (PB) – 0,7992
14. Fortaleza (CE) – 0,7819
15. Recife (PE) – 0,7758
16. Salvador (BA) – 0,7719
17. Cuiabá (MT) – 0,7704
18. Natal (RN) – 0,7383
19. Boa Vista (RR) – 0,7249
20. Teresina (PI) – 0,7218
21. Maceió (AL) – 0,7036
22. São Luís (MA) – 0,7003
23. Rio Branco (AC) – 0,6972
24. Manaus (AM) – 0,6903
25. Belém (PA) – 0,6593
26. Porto Velho (RO) – 0,6542
27. Macapá (AP) – 0,6413

INFRAESTRUTURA
A dimensão que apresenta a pior situação de bem-estar, nacionalmente, é a infraestrutura das cidades. Segundo o Ibeu, 91,5% dos municípios estão em níveis ruins e muito ruins.

O Observatório considerou sete indicadores para avaliar a infraestrutura: iluminação pública, pavimentação, calçada, meio-fio/guia, bueiro ou boca de lobo, rampa para cadeirantes e logradouros.

Somente um município apresenta condição muito boa de infraestrutura: Balneário Camboriú (SC).

DENÚNCIAS
Diversas denúncias sobre os problemas estruturais em Belém são feitas, há muito tempo, pelas reportagens do DOL e do DIÁRIO DO PARÁ. No último dia 16 de setembro, o Diário Online abordou, por exemplo, a grande quantidade de lixo espalhada nos canais e ruas da capital paraense.

(Diário do Pará)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.