Amazônia Pará

PA: Belém é o 3º destino turístico mais desejado para 2016

Redação
Escrito por Redação

Recente pesquisa do Ministério do Turismo, feita pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), ganhou repercussão em veículos nacionais de comunicação ao colocar a cidade de Belém como o terceiro melhor destino para se visitar em 2016. Segundo o estudo, a gastronomia um dos motivos que levou a capital paraense a estar na preferência do público.

Para o secretário adjunto de Estado de Turismo, Joy Colares, esse resultado é fruto do planejamento gradual feito pelo governo e de projetos que deram nova cara e mais evidência ao Estado. “A valorização do Euro e do Dólar acabam deixando o turismo local e nacional mais atrativo, o que contribui também para essas estatísticas”, completa.

A Secretaria de Estado de Turismo (Setur) trabalha desde 2011 no Plano Estratégico de Turismo Ver-o-Pará. Com o objetivo principal de fazer do Pará o destino turístico líder da Amazônia até 2020, a ação investe na estruturação dos produtos turísticos paraenses, novos equipamentos, melhoria dos serviços prestados, sinalização e informação, capacitação profissional, infraestrutura urbana, acessibilidade, gestão qualificada e na promoção do Pará como destino de muitos viajantes.

Como resposta dos investimentos feitos, hoje o Estado já é rota de quatro importantes voos internacionais: Europa, América do Norte, Suriname e Paramaribo. Além de incentivos fiscais, a própria localização geográfica do Pará fez com que as companhias aéreas redescobrissem o destino. “Uma novidade em primeira mão é que a TAP anunciou, no último sábado, 5, que o voo que vai para Lisboa não fará mais conexão em Manaus. Será apenas Lisboa-Belém-Lisboa”, diz.

Formação – Em outubro deste ano, o projeto que credencia o Pará a abrigar um Centro Global de Gastronomia e Biodiversidade na Amazônia foi lançado pelo Governo do Estado. O centro, que será implantado ao longo dos próximos dois anos no complexo Feliz Lusitânia, visa contemplar cinco unidades para divulgação, pesquisa e construção do saber gastronômico: escola de gastronomia, laboratório de alimentos, barco-cozinha, museu e restaurante. Entre os objetivos está colocar a capital como referência global da gastronomia e influenciar o cenário internacional com tendências que têm suas raízes na experiência e aprendizado amazônicos.

Ainda em outubro, o Governo do Estado promoveu a viagem experimental da linha fluvial turística entre os municípios de Belém, Salvaterra e Soure. Nos primeiros 22 dias de operação, dez empregos diretos foram gerados, com o transporte de 3.569 passageiros, alcançando a média de 81 passageiros por viagem.

Joy Colares cita ainda outras ações de desenvolvimento turístico que ganham força no Estado: a rota turística Belém–Bragança e a chamada Rota do Cacau. Esta última contemplará as cidades de Altamira, Vitória do Xingu, Brasil Novo e Medicilândia. “A proposta é fazer com o que o passeio termine na visitação da hidrelétrica de Belo Monte”, explica o secretário adjunto.

Em 2015, o Pará recebeu, em média, 1,1 milhão de turistas de fora do Estado, o que representa a receita gerada de R$ 746 milhões. “Com as novas perspectivas de projetos e investimentos, o aniversário de Belém e mais todas as divulgações nacionais e internacionais que estamos tendo na mídia, nossa expectativa é que esse número aumente bastante em 2016”, diz Joy Colares.

(Agência do Pará)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.